Alunos criam projetos antirracistas que valorizam a história negra

Os estudantes, de diversos municípios brasileiros, se engajaram na luta contra o racismo e pela valorização da cultura e da história afrobrasileira

Alunos foram incentivados a criar projetos e participar de ações contra o racismo

Alunos foram incentivados a criar projetos e participar de ações contra o racismo

Divulgação

Nesta sexta (20), celebrou-se o Dia Nacional da Consciência Negra. Em homenagem à data, marcada pela morte de Zumbi dos Palmares, símbolo da resistência negra contra a escravidão, o programa "Criativos da Escola", do Instituto Alana, apresentou projetos de estudantes dos ensinos fundamental e médio, de diversos municípios brasileiros, que promoveram a valorização da cultura negra e formas de combate ao racismo.

Um dos projetos de destaque foi elaborado por um grupo de alunos do 2° e 3° anos do Ensino Médio da Escola Municipal Dona Antônia Lindalva de Morais, no município de Milagres (CE). Eles refletiram sobre o aumento da violência contra a população negra no Brasil e criaram a ação "Juventude Negra: Movendo Estruturas".

Os projetos ajudaram os alunos a descobrir e valorizar suas identidades e origens afrobrasileiras

Os projetos ajudaram os alunos a descobrir e valorizar suas identidades e origens afrobrasileiras

Divulgação

A iniciativa dos estudantes recebeu menção honrosa na quinta edição do "Desafio Criativos da Escola", organizado pelo programa Criativos da Escola.

O projeto começou nas aulas de Formação para a Cidadania, quando os adolescentes foram incentivados a debater sobre o crescimento do racismo e da violência contra o jovem e a mulher negra no Brasil.

Então, eles iniciaram uma pesquisa mais aprofundada da literatura sobre a população afro-brasileira e aplicaram um questionário para entender melhor a diversidade étnica na própria escola e para conhecer quem eram os estudantes negros da instituição.

Depois, os alunos desenvolveram ações que abordavam a cultura, a história e a realidade negra do Brasil. Entre elas, o seminário "Vidas Negras Importam!"; uma oficina de direitos humanos com o tema "Todos os mortos eram bandidos: genocídio ou extermínio do povo negro no Brasil?"; e o café filosófico "Somos muitos, somos milhões, somos aqueles silenciados: o que é cidadania negra no Brasil?".

Valorização da identidade negra

Além dessa ação, o projeto Criativos da Escola ainda listou quatro projetos protagonizados por crianças e adolescentes com foco na valorização da cultura negra e que também foram destaques nas premiações do Desafio Criativos da Escola: "A Comunidade Quilombola de Opalma em Pauta", com alunos do município de Cachoeira (BA); "Potere: O lugar da mulher negra no Colégio Pedro II", com estudantes do Rio de Janeiro (RJ); "Afroativos: solte o cabelo, prenda o preconceito", com jovens de Porto Alegre (RS); e "Mais Amor Menos Guerra", com estudantes de São Bernardo do Campo (SP).

As iniciativas ajudaram os alunos afrodescendentes a assumirem suas identidades, reconhecendo-se e admirando-se.

O programa Criativos da Escola é apoiado pelo Instituto Alana, organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, que aposta em programas que buscam a garantia de condições para a vivência plena da infância.