Alunos ganham concurso da Nasa com sistema para achar óleo no mar

Ariel Betti, da Fatec Taquaritinga, e sua equipe criaram tecnologia para detectar vazamentos e visitarão o Nasa Kennedy Space Center

Ariel Betti, o segundo a partir da esquerda, está entre os vencedores de competição da Nasa

Ariel Betti, o segundo a partir da esquerda, está entre os vencedores de competição da Nasa

Reprodução / Redes Sociais

Ariel Betti, estudante do curso de Sistemas para Internet da Fatec Taquaritinga, está entre os vencedores do International Space Apps Challenge, competição promovida pela agência espacial norte-americana, a Nasa.

Ele e sua equipe criaram uma tecnologia para detectar vazamentos de óleo nos oceanos por meio de imagens. No segundo semestre, os jovens vão apresentar o projeto e visitar o Nasa Kennedy Space Center, no estado da Flórida, nos Estados Unidos. Na foto, Ariel é o segundo a partir da esquerda. ...

Estudante do curso superior tecnológico de Sistemas para Internet da Faculdade de Tecnologia do Estado (Fatec) Taquaritinga, localizada na Região Central, Ariel Betti está entre os vencedores do International Space Apps Challenge, competição promovida pela agência espacial norte-americana, a Nasa.

Leia mais: Concurso vai premiar aplicativo criado por jovens de comunidades

Anualmente, o hackathon desafia programadores, designers e outros profissionais ligados ao desenvolvimento de softwares em todo mundo a encontrarem soluções tecnológicas para problemas que afligem a humanidade. A maratona de programação dura 36 horas. Na edição mais recente, disputada em outubro de 2019, foram mais de 29 mil inscritos, de 71 países – o resultado foi divulgado no início deste ano.

Galáticos

Utilizando inteligência artificial e algoritmos, a equipe Massa, integrada por Ariel, desenvolveu o Poseidon, uma tecnologia para detectar vazamentos de óleo nos oceanos por meio de imagens. Trata-se de uma interface de programação de aplicativos (da sigla em inglês API) que pode ser conectada a satélites – assista ao vídeo de apresentação, em inglês, no site do International Space Apps Challenge.

Com a ferramenta, autoridades responsáveis pelo controle deste tipo de ocorrência podem acessar as informações de um celular ou de um computador, em tempo real. “O Poseidon permite monitoramento contínuo e diminui o tempo de resposta das equipes de mitigação dos impactos socioambientais”, explica Ariel. “Escolhemos esse tema por causa dos vazamentos que atingiram o litoral brasileiro no ano passado, um desastre ambiental que tocou todos nós.”

A interface conquistou o primeiro lugar na categoria Galactic Impact, que premia o projeto com maior potencial de impacto positivo tanto dentro como fora do planeta. Os vencedores vão apresentar o projeto e visitar o Nasa Kennedy Space Center, no estado da Flórida, nos Estados Unidos. Além de Ariel, que também é técnico em informática pela Etec (Escola Técnica Estadual) Dr. Adail Nunes da Silva, de Taquaritinga, compõem a equipe Eduardo Ritter, Felipe Tanso, Joana Ritter e Ricardo Ramos. A viagem está prevista para o início do segundo semestre de 2020.

Entre as seis equipes premiadas, duas são brasileiras: a Massa, integrada por Ariel, e a Cafeína, de Salvador (BA), que venceu a categoria de melhor uso de hardware com um sistema que atrai e coleta resíduos plásticos nos oceanos.