Virtz Aplicativo reverte coleta de resíduos recicláveis em dinheiro

Aplicativo reverte coleta de resíduos recicláveis em dinheiro

O valor arrecadado com venda dos resíduos é transferido via Pix para o fornecedor, pessoa física ou jurídica, direto pelo app

  • Virtz | Júlia Putini, do R7*

Telhas feitas com material coletado ganham um QR Code que permite rastrear todo o processo

Telhas feitas com material coletado ganham um QR Code que permite rastrear todo o processo

Divulgação

A Telite, empresa fabricante de telhas feitas 100% com material reciclado, criou um programa de logística reversa para a coleta de resíduos recicláveis, como plástico, papelão, alumínio e vidro. Por meio de um aplicativo, o doador desse tipo de material pode registrar a quantidade que tem para oferecer e acumula pontos ao fazer o cadastro. Esses pontos são convertidos em dinheiro. 

De acordo com Leonardo Retto, presidente da Telite, dois tipos de coleta podem ser convertidas em dinheiro: pós-industrial e coleta seletiva privada pós-consumo. Mais informações sobre o aplicativo e o programa podem ser obtidas no site da companhia.

"A pós-industrial é onde recebemos o maior volume por coleta. Realizamos a coleta seletiva privada no pós-consumo em várias regiões, que passam a ser atendidas conforme vamos estruturando a operação. A equipe faz a coleta com dia e hora marcada, utilizando o centro de triagem e o sistema de gestão de resíduo com blockchain", explica.

Ao atingir 20.000 pontos, o resgate pode ser solicitado diretamente pelo aplicativo, que realiza a transferência via Pix. A tabela de pontos é feita de acordo com valor do material no mercado de resíduos, por exemplo: 20.000 pontos de plástico correspondem a 20kg, o que equivale a R$10,00.

No entanto, o retorno financeiro depende do preço do material, ou seja, 1.000 pontos de papelão, que é um material mais barato, tem um retorno financeiro menor do que 1.000 pontos de plástico. A cada quilo de resíduo reciclável fornecido, o doador recebe 1.000 pontos. "Assim, o resgate fica com tempo menor de saque, incentivando ainda mais a separação", reforça Leonardo. 

Rastreamento do material

Os resíduos coletados servem de insumos para a confecção das telhas e são rastreados desde a retirada do local de origem até a venda da telha produzida, por meio de um QR Code gerado assim que o lote de materiais chega à fábrica.

Depois, o código é impresso nas telhas, tornando possível o acompanhamento de todo o processo de reciclagem, bem como a quantidade de telhas produzidas, quem as comprou e onde foram instaladas.

Os materiais que não forem aproveitados no processo são destinados a indústrias que transformam os resíduos em outros produtos sustentáveis. 

*Estagiária do R7, sob supervisão de Luciana Mastrorosa

Últimas