Aplicativo “São Paulo Mais Humana” conecta doadores a ONGs carentes

Ferramenta criada pelo governo facilita busca do cidadão por instituições que necessitam de ajuda. Além de doações, pessoa pode ser voluntária

Lar Vinícius foi uma das instituições que já receberam doação pelo aplicativo

Lar Vinícius foi uma das instituições que já receberam doação pelo aplicativo

Divulgação / Lar Vinícius

A biomédica Lilian de Farias Jancso costuma fazer doações com frequência a entidades carentes e, pela primeira vez, utilizou a plataforma “São Paulo Mais Humana”, lançada em outubro pelo governo do Estado. “Vi uma propaganda pela TV falando sobre o aplicativo e tive curiosidade de ver como funcionava a doação”.

A plataforma, que é gratuita, conecta doadores a instituições carentes, que necessitam de ajuda para manter as atividades diárias. A ferramenta está disponível na internet e também em celulares, por meio de aplicativo.

Segundo Lilian, o cadastro é bem simples, objetivo e prático. “Você informa o CEP e ele procura entidades num raio escolhido por você, no meu foi de 10 quilômetros. O aplicativo me ajudou a encontrar instituições perto de casa. Entre 5 e 10 minutos, você finaliza o cadastro com todos os dados.”

Leia mais: Menina vende biscoitos e chocolate e paga lanche para 123 colegas

A biomédica escolheu o Lar Vinícius, na zona oeste de São Paulo, e doou produtos de limpeza. Os materiais foram levados por ela até a instituição que cuida de crianças que poderão ser adotadas. “Por ser do governo o aplicativo, dá para confiar. Se fosse falcatrua, eu saberia porque tem o nome da entidade, telefone, endereço, nome do responsável e a razão social”, justificou Lilian.

Pela plataforma, é possível escolher qual a causa que o doador tem preferência: crianças e adolescentes, idosos, mulheres, pessoas com deficiência ou em situação de rua ou outras categorias. O cidadão tem a opção ainda de escolher o que pretende doar: materiais, tempo como voluntário ou encontrar vagas de trabalho.

De acordo com o Fussp (Fundo Social de São Paulo), 703 entidades estão inscritas na plataforma e aceitaram o convite para participação através de um e-mail. Dois meses após o lançamento do aplicativo, 58 pessoas se cadastraram com a intenção de doar.

Veja também: Programa contra desperdício de comida arrecada 270 toneladas

Doação

ONG vive 100% de doação e atende 20 crianças em situação de risco

ONG vive 100% de doação e atende 20 crianças em situação de risco

Divulgação / Lar Vinícius

O doador pode ser uma pessoa ou uma empresa. Segundo o diretor executivo do Fussp, Augusto Ramos, “apesar de não haver um filtro para os doadores, as instituições que serão beneficiadas passam por uma análise prévia para verificar a autenticidade das informações no cadastro. O aplicativo faz a aproximação entre doador e entidades, mas não interfere nessa relação”.

O objetivo da plataforma é fomentar a política pública de doação no estado de São Paulo, mas ainda é pouca conhecida. A doadora Lilian Jancso aprovou a experiência e garantiu que vai utilizá-la mais e “propagar a informação em redes sociais de doadores por não ser burocrático o aplicativo”.

Ana Moniz é administradora da ONG Centro Educacional e Profissional Vinícius, que foi beneficiada pela doação de Lilian. Ela revelou que só descobriu a “São Paulo Mais Humana” porque uma voluntária trabalha no governo e comentou sobre o assunto. “O cadastro é bem simples, depois de 3 ou 4 dias chegou e-mail de uma doação. É muito útil porque vivemos 100% de doações e precisamos dos mesmos produtos que uma casa comum”, contou Ana.

Leia ainda: Jovens em situação de risco aprendem arte com Cirque du Soleil

O Lar Vinícius tem 2 unidades e cuida de 20 crianças de 0 a 10 anos de idade em situação de risco ou vulnerabilidade social. “Elas são trazidas pela Vara da Infância e estão mal cuidadas ou negligenciadas e aqui passam por médicos, dentistas e reforço escolar”, afirma a diretora da ONG. 

A administradora afirmou que, por ser um aplicativo oficial do governo, serve como uma espécie de certificação: “inspira mais confiança, nunca se sabe quem é que está chegando no portão. É sempre alguém indicado por um conhecido, com agendamento. Aqui ninguém entra do nada”. O cuidado é uma exigência pela instituição lidar com crianças.

Ana Moniz sugeriu ainda uma mudança na plataforma: “seria legal que tivesse um campo onde a instituição pudesse informar os produtos de primeira necessidade”. O diretor do Fundo Social afirmou que vai tentar incorporar a sugestão ao aplicativo e contou que isso já ocorre numa parceria com a Defesa Civil.

Veja também: Pacientes podem pagar cirurgias com trabalho voluntário nos EUA

Quando há catástrofes, como a queda de um prédio, enchentes com desabrigados ou desastres ambientais, a Defesa Civil informa também na "São Paulo Mais Humana" quais são as necessidades específicas para ajuda emergencial. A listagem de produtos é atualizada à medida que as doações começam a se acumular enquanto outros itens ainda estão em falta, como alimentos, água e cobertores.

“A intenção é crescer o número de doações para o ano que vem. Queremos ativar 3.000 entidades e conquistar mais doadores. Vamos fazer divulgação nas estradas e parcerias com outras secretarias”, afirmou Augusto Ramos.

O governo espera que a "São Paulo Mais Humana" fique conhecida pelo boca a boca, mas também por meio da experiência positiva dos usuários, já que o Fundo Social é um órgão filantrópico e não dispõe de verba para publicidade.

Após informar CEP, aplicativo busca entidades carentes próximas ao endereço

Após informar CEP, aplicativo busca entidades carentes próximas ao endereço

Divulgação / FUSSP

Aplicativo

“O São Paulo Mais Humana é importantíssimo, pois agiliza e amplia o processo de forma digital. Não é mais analógico e nem distante. Agora se faz no celular”, disse o governador João Doria no lançamento da plataforma.

Por meio de geolocalização (disponível em www.saopaulomaishumana.sp.gov.br e aplicativo), o cidadão pode definir um raio de busca, que varia de 1 a 50 quilômetros do endereço indicado, para localizar instituições que estejam dentro da sua área de interesse.

Leia ainda: Costureira restaura bonecas do lixo e faz doação para crianças carentes

De acordo com o governo, as informações registradas são 100% seguras e a plataforma permite o acompanhamento das instituições, oferecendo mais transparência ao processo.

É importante que, antes de fazer a doação, a pessoa se certifique de que o produto está em bom estado e dentro das condições adequadas de uso.