Bailarina brasileira ganha concurso internacional durante a quarentena

A jovem Sophia Heringer, de apenas 11 anos, foi a vencedora do concurso promovido pela Royal Academy of Dance, da Inglaterra

A jovem Sophia Heringer, de Belo Horizonte, levou o primeiro lugar em concurso internacional de balé promovido para incentivar a dança durante a quarentena

A jovem Sophia Heringer, de Belo Horizonte, levou o primeiro lugar em concurso internacional de balé promovido para incentivar a dança durante a quarentena

Reprodução/ EFE

Em tempos de pandemia do novo coronavírus, a jovem bailarina brasileira Sophia Heringer, de apenas 11 anos, transformou a sala de sua casa em um estúdio de balé. A iniciativa deu certo e ela venceu o concurso internacional promovido pela Royal Academy of Dance (Academia Real de Dança), da Inglaterra, criado para estimular a dança mesmo durante o isolamento social.

Depois de levar o primeiro lugar, a bailarina ganhou uma aula particular, online, com a premiada bailarina canadense Céline Gittens, e ainda receberá em sua casa um par de sapatilhas autografadas pela estrela da dança.

"Eu criei a coreografia, escolhi uma música e então nós mandamos o vídeo pelo Instagram. O prêmio foi essa aula com a Céline e também um par de sapatilhas de ponta autografadas por ela", disse Sophia, em entrevista à agência EFE.

Apesar do isolamento provocado pela pandemia, Sophia, que dança desde os 9 anos de idade, segue mantendo uma rotina de treinos na sala de seu apartamento, em Belo Horizonte, Minas Gerais.

"Disciplinada", "impecável" e "perfeccionista", como sua família descreve a jovem, Sophia não desistiu até conseguir a melhor versão possível de sua coreografia, executada ao som da Sonata para Piano número 11, de Mozart, interpretada pelo alemão Hugo Steurer.

"Quando gravamos o vídeo para o concurso, foram várias tentativas até chegar à versão final. Ela me dizia: 'de novo, mãe, que ainda não está bom'", contou Juliana Heringer, mãe de Sophia.

A jovem reconhece que vencer esse concurso permitiu a ela realizar um de seus sonhos, que foi conhecer um de seus ídolos do balé. Mas ela garante que ainda tem "muitos sonhos pela frente."

Para o futuro, Sophia espera poder integrar a prestigiada escola do balé real britânico e dividir o palco ao lado de grandes nomes da dança, como a argentina Marianela Núñes, umas das principais bailarinas do Ballet Real de Londres, que a jovem diz ser sua "grande inspiração."

Enquanto Sophia persiste no árduo caminho para alcançar o estrelato no mundo da dança, sua mãe não esconde o orgulho por sua pequena bailarina e assegura que a menina sempre terá o "apoio incondicional" de toda a família.

"Vamos colocar o mundo de cabeça pra baixo, se necessário, para fazer o possível para que ela alcance seus sonhos", disse a mãe de Sophia.