Billings recebe primeira usina solar fotovoltaica flutuante de SP

Usina que gera energia a partir da radiação solar ficará 90 dias em fase de testes. Objetivo é ampliar o uso de fontes alternativas e sustentáveis

Primeira usina fotovoltaica flutuante da cidade de São Paulo está em teste em reservatório da Billings

Primeira usina fotovoltaica flutuante da cidade de São Paulo está em teste em reservatório da Billings

Divulgação/SIMA

Começaram os testes da primeira usina fotovoltaica flutuante da cidade de São Paulo. Por meio da Emae (Empresa Metropolitana de Águas e Energia), a Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente iniciou o desenvolvimento de uso da usina que gera energia a partir da radiação solar.

Segundo a pasta estadual, o objetivo é ampliar o uso de fontes alternativas e sustentáveis na geração de energia elétrica. Ainda conforme a secretaria, a plataforma em teste tem 100 kilowatts de potência e o projeto piloto será avaliado durante 90 dias.

Segundo a secretaria, os testes servem para avaliar a viabilidade da implantação deste tipo de usina nos reservatórios da cidade de São Paulo. Caso o resultado do período de teste seja positivo, a Emae deve abirir uma chamada pública para implantação de usinas fotovoltaicas nas represas Billings e Guarapiranga.

O empreendimento implantado para testes ocupa uma área de mil metros quadrados do reservatório Billings junto à usina elevatória de Pedreira. Segundo a Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente, foram investidos R$ 450 mil em equipamentos para a implantação do projeto.

A iniciativa acontece em parceria com a Sunlution Soluções em Energia Ltda, que foi escolhida por meio de Chamamento Público lançado em outubro.

“Nós temos que buscar alternativas em parceria com a iniciativa privada e com a população a fim de mudarmos nossos hábitos e investirmos no desenvolvimento sustentável. Cuidar do meio ambiente é um dever de todos”, disse o Secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido.