Coronavírus

Virtz Bolivianos distribuem comida, roupas e máscaras a sem-teto

Bolivianos distribuem comida, roupas e máscaras a sem-teto

A pandemia não impediu que ações de solidariedade fossem realizadas em La Paz para auxiliar os necessitados

Reuters
Moradores de rua de La Paz, na Bolívia, celebram a ajuda recebida

Moradores de rua de La Paz, na Bolívia, celebram a ajuda recebida

Reuters/David Mercado

Em La Paz, na Bolívia, moradores de rua e pessoas em situação de vulnerabilidade social receberam ajuda nesta terça-feira (29), na campanha solidária chamada de "Bom Samaritano". O auxílio partiu de voluntários que distribuíram comida, roupas e brinquedos para a população de rua local.

Justina Poma, sem-teto boliviana, contou à Reuters que a pandemia piorou muito as condições de vida para quem não tem um lar.

"Nós não estamos mais conseguindo comida durante a pandemia. Desde que começou, meus filhos e eu tivemos que voltar a viver na rua, mas graças a Deus e à ajuda dessas pessoas, agora minha família encontrou um lugar para viver", diz ela.

A condição dos moradores de rua de La Paz piorou muito com a pandemia de covid-19

A condição dos moradores de rua de La Paz piorou muito com a pandemia de covid-19

Reuters/David Mercado

Ajudar os moradores de rua se tornou uma tradição na época de fim de ano para os bolivianos. Neste ano, a ajuda teve de ser mais limitada do que antes, por conta do isolamento social imposto pelo novo coronavírus. Mesmo assim, os voluntários entregaram máscaras, comida, roupas e brinquedos para as crianças, tudo protegido dentro de sacolas e embalagens plásticas higienizadas.

Mesmo com a limitação imposta pela pandemia, ainda assim a campanha solidária rendeu sorrisos e alegria para os sem-teto e um pouco de conforto para pais e filhos que se encontram nessa situação. 

Famílias inteiras foram forçadas a viver nas ruas e receberam ajuda solidária

Famílias inteiras foram forçadas a viver nas ruas e receberam ajuda solidária

Reuters/David Mercado

A campanha também ofereceu tratamento médico para os desabrigados. Neste ano, Jesusa Lopez, médica que faz parte da ação, afirmou que já conseguiram tratar mais de 100 pessoas com doenças variadas, como cirrose, pneumonia e feridas. 

Últimas