Cadela reencontra família após dar a 'volta ao mundo' em cinco meses

Uma volta ao mundo e muitas ajudas, foi tudo que a cachorrinha precisou para poder voltar para casa e para seus tutores na Austrália

Pip teve uma aventura incrível antes de voltar para casa

Pip teve uma aventura incrível antes de voltar para casa

Reprodução/Instagram Noplans.justoptions

Zoe Eilbeck, Guy Eilbeck e seus dois filhos moram na Austrália, mas estavam em Key West, na Flórida, Estados Unidos, em março de férias. Porém, por conta da pandemia do coronavírus, foi decretado que todos turistas da ilha fossem embora em 2 dias. O país da Oceania ia fechar as fronteiras e a família sabia que teria que voltar para casa.

Os pais são velejadores profissionais e enquanto Guy estava esperando para seu barco ser armazenado na Carolina do Norte e Zoe levou Pip, sua cachorrinha da raça dachshund, até a casa de um amigo no estado. Durante esse tempo eles tentavam achar voos para voltar para casa, porém eles estavam difíceis de se marcar.

O problema é que para transportar um cachorro para a Austrália de avião leva cerca de seis meses por causa da documentação envolvida, disse Guy. A família achou melhor e mais seguro deixar a cadela com o amigo enquanto voltava para casa e não causar problemas burocráticos. A família dirigiu para Atlanta, voou para Los Angeles e pegou o último vôo para a Austrália antes do fechamento das fronteiras.

Família estava no aeroporto esperando para embarcar para Austrália

Família estava no aeroporto esperando para embarcar para Austrália

Reprodução/Instagram Noplans.justoptions

“Neste ponto, pensamos que a iríamos deixar por 4 a 6 semanas e tudo isso iria acabar”, disse Zoe Eilbeck para o Good Morning America.

Mas o tempo foi passando e eles perceberam que não seria tão rápido ou fácil ter a cãozinha de volta em casa, o amigo não tinha como cuidar do animal por muito tempo e conheceu Ellen Steinberg, uma voluntária em um abrigo de animais local e que disse que cuidaria dela sem problemas.

Depois de Ellen uma mulher chamada Stacey Green levou Pip por algumas semanas quando a voluntária teve de viajar. Stacey levou a cadela para a veterinária Nicole Reed. Nicole fez questão de arrumar toda a documentação durante 2 meses para que Pip voltasse para a família em Sydney. Depois de toda papelada e a autorização médica concluídas em julho (foram 18 etapas no total), Pip começou a jornada para casa.

Veterinária conseguiu arrumar burocracia para que Pip voltasse para casa

Veterinária conseguiu arrumar burocracia para que Pip voltasse para casa

Reprodução/Instagram Noplans.justoptions

A primeira parte da aventura que estava para começar era de levar a cachorrinha até Los Angeles e procuraram alguém que viajaria junto com ela, para que a Pip não fosse no compartilhamento de carga. Aí entrou Melissa Young, que faz parte do conselho de um grupo de resgate de dachshund e tem 3 cachorros da raça. Ela foi junto com a cadela.

Depois veio a parte mais complicada. Pip precisaria pegar um voo de 18 horas para Auckland (Nova Zelândia) sem comida ou água e ser presa em sua caixa. Ela ficou em Auckland por uma noite, depois foi para Melbourne, na Austrália, onde ficaria em quarentena por dez dias antes de poder embarcar em um voo de volta para Sydney. 

Pip chegou em casa depois de meses longe

Pip chegou em casa depois de meses longe

Reprodução/Instagram Noplans.justoptions

Depois de tudo isso, Pip foi liberada para o irmão de Zoe, que mora em Melbourne com sua família, em 3 de agosto. Por causa das restrições de viagem da pandemia, os tutores não puderam ir a Melbourne buscá-la. O plano era que o irmão de Zoe pegasse Pip e a colocasse em um vôo para Sydney.

Para continuar o drama, o voo foi cancelado 3 vezes, até que finalmente, na terça-feira, (11), depois de quase cinco longos meses, Pip e sua família se reecontraram no aeroporto de Sydney.