Virtz Campanha quer captar R$ 1 milhão para doações de alimentos

Campanha quer captar R$ 1 milhão para doações de alimentos

A ação 'O Brasil que come alimenta o que tem fome' busca amparar os mais atingidos pela crise durante a pandemia

Banco de Alimentos atua no combate à fome há mais de duas décadas

Banco de Alimentos atua no combate à fome há mais de duas décadas

Reprodução/Pixabay

A ONG Banco de Alimentos combate, há 23 anos, a fome e o desperdício alimentar no Brasil. Em seu aniversário deste ano, em meio à pandemia, a organização está lançando a campanha "O Brasil que come alimenta o que tem fome" para arrecadar R$ 1 milhão que serão usados na entrega de cestas de alimentos e cartões alimentação à população mais vulnerável socialmente. 

Em 2020, a ONG entregou alimentos a 1,5 milhão de pessoas. Entre abril de 2020 e março deste ano, em ação de ajuda humanitária por conta da covid-19, distribuiu o total de 5.261.652 de quilos de alimentos, via Colheita Urbana, cestas básicas e cartões/cestas digitais.

A instituição integra uma rede colaborativa de mais de 300 entidades sociais parceiras beneficiadas pela doação de alimentos.

Luciana Chinaglia Quintão, fundadora e presidente da Banco de Alimentos, é economista e cresceu em região vizinha à da favela da Rocinha, no Rio de Janeiro. Inconformada com os contrastes e desigualdades que presenciou desde cedo, decidiu criar a ONG, em 1998. De lá para cá, tem atuado junto a diversas entidades parceiras no combate à fome no país.

"A fome sempre foi um problema grave no Brasil mas agora a situação piorou muito. Modelos de desenvolvimento que beneficiam apenas uns, em detrimento de outros, não se sustentam mais", afirma Luciana.

Para colaborar com doações e apoiar o trabalho da ONG Banco de Alimentos, visite o site http://bancodealimentos.org.br.

Últimas