Entenda por que a pele oleosa também precisa ser hidratada

A oleosidade excessiva não descarta nem substitui a hidratação, que deve ser feita regularmente

A hidratação diária diminui a oleosidade e evita o efeito rebote

A hidratação diária diminui a oleosidade e evita o efeito rebote

Pixabay/Reprodução

A pele oleosa é o resultado da produção excessiva de sebo, pelas glândulas sebáceas, e não deve ser confundida com hidratação. Cada tipo de pele precisa de hidratação específica, e engana-se quem pensa que a pele oleosa será prejudicada, que não combina ou que pode abrir mão de um hidratante. Tudo é questão de equilíbrio, análise e produto correto.

O óleo produzido pelas glândulas sebáceas em excesso pode entupir os poros e dar origem a outros problemas, como os cravos e espinhas. “Hidratar tem a ver com água, e não com oleosidade, significa dar água para que as células funcionem bem e se mantenham nutridas”, esclarece Marcele Trindade, dermatologista da SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia). Uma das formas de tratar a pele oleosa é justamente a hidratação que, além de reduzir a produção do óleo, ajuda a uniformizar a pele do rosto, muitas vezes marcada pelas cicatrizes de acnes e poros dilatados.

Um erro comum de quem tem a pele oleosa é lavar o rosto várias vezes por dia na tentativa de eliminar o excesso de sebo. Por mais assertiva que pareça, a ação aumenta a oleosidade quando não é seguida da hidratação. É o chamado efeito rebote, uma reação do organismo ao “perceber” que o óleo produzido para proteção cutânea foi removido. “Quando a pele fica ressecada, as glândulas sebáceas são estimuladas a produzirem secreção sebácea, aumentando a oleosidade da pele”, explica a dermatologista.

No entanto, quando a hidratação é feita, o corpo entende que a pele já está protegida e não precisa repor, diminuindo a oleosidade. Marcele explica que, após as lavagens, a pele do rosto deve ser hidratada cerca de duas vezes ao dia com hidratantes na textura de gel, sérum ou com efeito matte para conter a oleosidade. Outro benefício da hidratação regular é que a pele se torna menos vulnerável aos fatores externos, como poluição e raios solares, responsáveis por acelerar o envelhecimento. Além disso, a textura da cútis muda, deixando a maquiagem mais bonita e duradoura.

Bom para a pele


A oleosidade está relacionada a vários fatores, como estresse, genética, clima e alimentação. “O consumo de alimentos ricos em vitamina A, como cenoura, mamão e vegetais verdes, ajuda a reduzir a produção de óleo pelas glândulas sebáceas e rejuvenesce a epiderme”, indica dra. Marcele. A boa alimentação ainda pode prevenir manchas e contribuir para a produção de colágeno. “Alimentos que contém vitamina C, como laranja, morango, acerola, limão e brócolis, possuem efeito antioxidante e promovem um aspecto iluminado na pele”, completa a médica, que ainda inclui peixes como atum, salmão e sardinha nas recomendações. Alguns vegetais verdes e até mesmo óleo de canola e azeite de oliva estão na lista dos bons aliados para evitar as acnes, pois possuem propriedades anti-inflamatórias, assim como as castanhas e sementes, que melhoram a elasticidade da pele, atuando no antienvelhecimento.

Descubra 7 mitos e verdades sobre pele oleosa com a Garnier

Cuidados específicos


Alguns erros na rotina de cuidados podem intensificar a oleosidade. Um deles é não ter uma rotina, pois a pele oleosa também precisa de cuidados diários, e a ordem de aplicação dos produtos é importante. “O primeiro passo é utilizar sabonetes próprios para a pele oleosa. Depois, solução micelar ou loções tônicas adstringentes irão limpar bem a pele para receber o hidratante. Para finalizar, durante o dia é necessário protetor solar, e à noite creme anti-idade”, explica a dermatologista.

De acordo com Marcele, deve-se evitar produtos à base de óleos vegetais pesados e petrolatos (derivados do petróleo), além de soluções alcoólicas, que agridem e ressecam a pele, causando aumento da oleosidade pelo efeito rebote. Tão importante quanto hidratar a pele oleosa é escolher os componentes e as texturas dos produtos. Ter fator de proteção solar (FPS), fórmulas livres de óleo e efeito matificante são características que devem ser consideradas. A médica recomenda a busca por hidratantes com alguns ativos específicos como:

Ácido salicílico: com ação queratolítica (quebra a camada córnea da pele), promove uma esfoliação suave e reduz a oleosidade, os poros abertos, além de prevenir a acne;

Vitamina C: atua como hidratante, clareador de manchas e antioxidante;
Ácido hialurônico: também contribui para a hidratação e viço da pele;
Niacinamida ou vitamina B3: melhora a aparência dos poros, reduz marcas e regula a secreção sebácea;

Ácido glicólico: estimula a renovação celular, reduzindo rugas e manchas;

Vitamina E: possui propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e rejuvenescedoras.

Poder reunir estes benefícios em um só produto facilita muito a rotina de cuidados com a pele. A linha Uniform&Matte SkinActive, de Garnier tem um hidratante facial específico para peles oleosas, aprovado por dermatologistas*, que deixa o desejado efeito matte por até 12 horas**, uniformizando a pele instantaneamente e reduzindo as imperfeições*** em até uma semana. O hidratante ainda tem o poder antioxidante da vitamina C e FPS 30 para proteção dos raios UVA e UVB. O resultado é uma pele livre da oleosidade, protegida e viçosa.

Veja a linha completa

* Pesquisa quantitativa com 150 dermatologistas no Brasil.
** Teste instrumental.
*** Marcas associadas a imperfeições. Teste com 60 participantes, auto avaliações.