Chef cria projeto de gastronomia social para população carente

Augusto Pinto idealizou o Comida para Todes, que começou com aproveitamento do estoque de restaurantes e hoje atua com vaquinha virtual

O chef Augusto Pinto idealizou o projeto Comida para Todes

O chef Augusto Pinto idealizou o projeto Comida para Todes

Foto Rafael Wainberg/Divulgação

De um lado, um restaurante fechado com um estoque sem destino. De outro, um chef idealista, determinado a fazer alguma coisa pela população vulnerável. O resultado é o projeto Comida para Todes (@comidaparatodes), que alimenta pessoas carentes.

O chef Augusto Pinto, ex- Goa Vegetariano, criou esta ação de gastronomia social, que funciona como uma ponte entre as vítimas da crise atual e restaurantes, fornecedores de insumos, nutricionistas, técnicos, fotógrafos, entre outros, e claro, facilita o engajamento de empresas e pessoas físicas interessadas em participar.

A iniciativa, em sua primeira ação espontânea, começou com o aproveitamento de estoques disponíveis do Restaurante Mimo. O sucesso da operação levou o chef Augusto Pinto a elaborar um plano para ampliar a ação através de crowdfunding para assim poder atender mais pessoas e por mais tempo. O objetivo é sensibilizar empresas privadas, pessoas físicas, instituições filantrópicas e religiosas, além de órgãos do poder público formando uma grande rede de apoio.

"A gastronomia social engaja o cidadão, pacifica as pessoas, aumenta sua auto-estima, gera esperança e gratidão", diz o chef Augusto Pinto, que também está aproveitando seu deslocamento para fazer a coleta e o transporte de doações de roupas,  cobertores, produtos de higiene e outros itens básicos de sua rede de contatos e apoiadores.

 A cada R$ 20, uma marmita é montada e doada a quem tem fome

A cada R$ 20, uma marmita é montada e doada a quem tem fome

Divulgação

O resultado do Comida para Todxs são marmitas preparadas dentro de uma estrutura de primeira linha com ingredientes
frescos.

Os equipamentos são de ponta e as condições de armazenamento estão dentro das mais rígidas normas de controle e higiene estabelecidos pela legislação vigente (e reforçados no momento atual). 

Cada quentinha pesa 500 g e contém arroz, feijão, proteínas variadas e legumes. São quatro composições diferentes, mas que poderão variar de acordo com a sazonalidade e os preços dos produtos disponíveis no mercado (cardápio detalhado abaixo), distribuídas em locais como Pateo do Collegio, Largo de São Francisco, Praça Duque de Caixas entre outros, na capital.

As contribuições estão sendo recolhidas no site de crowdfunding Abacashi . A cada R$ 20, uma marmita é montada, embalada e entregue a uma pessoa que tem fome. Existem pacotes com 15%, 25% e 40% de desconto para auxílio acima de 100 refeições onde o doador pode escolher o local onde as marmitas serão entregues dentro da cidade de São Paulo (mais detalhes no (11) 94201-8191).

O Comida para Todes está alimentando moradores de rua que incluem minorias, LGBTI, desempregados, subempregados, idosos solitários, refugiados e imigrantes, além de pessoas que têm onde morar, mas não conseguem mais comprar alimentos.