Chilenos criam teste para detectar novo coronavírus pelo olfato

Procedimento tenta detectar dificuldade para perceber três aromas distintos, dura menos de cinco minutos e pode ser feito na porta das empresas

Exame barato serve como triagem para teste oficial

Exame barato serve como triagem para teste oficial

Pixabay

Um grupo de pesquisadores da Universidade Católica do Chile desenvolveu um kit para detectar rapidamente, através do olfato, casos assintomáticos do novo coronavírus.

Saiba como se proteger e tire suas dúvidas sobre o novo coronavírus

A aplicação massiva do teste rápido permitiria reduzir a propagação da doença e fazer vários PCR - o teste oficial para detectar a doença - de forma mais seletiva.

"Hoje há uma necessidade urgente de identificar indivíduos assintomáticos com a covid-19. Um sintoma que não tem sido suficientemente divulgado é a perda repentina do olfato na ausência dos outros sintomas da doença", declarou o professor de engenharia e pesquisador Eduardo Agosín, da Universidade Católica do Chile, um dos responsáveis pela criação do novo teste.

Segundo Agosín, a perda do olfato, conhecida como anosmia, é um marcador precoce da infecção pelo vírus Sars-Cov2. "Nossa solução consiste em um teste de três aromas que identifica o estado olfativo de uma pessoa em menos de cinco minutos. Além disso, temos a capacidade de produzir kits de baixo custo que podem avaliar milhares de indivíduos por semana", destacou o professor.

Segundo ele, o exame pode ser feito na entrada de um hospital ou de uma empresa, e aqueles que apresentarem disfunção olfativa podem ser isolados ou realizar o PCR.

Nesta terça, o Chile ultrapassou a marca de 200 mortes por coronavírus, chegando a 207, segundo dados da Subsecretaria de Saúde. Já foram notificados 14.365 casos de infecção.