Confinamento faz Reino Unido ter queda recorde no uso de carvão

Com queda na demanda, país está usando principalmente energia solar há quase 20 dias. Último recorde vem da Revolução Industrial, em 1882

Uso de energia solar aumenta no Reino Unido

Uso de energia solar aumenta no Reino Unido

Mike Blake/Reuters - 14.4.2020

O confinamento obrigatório e o bom tempo fizeram com que o Reino Unido passasse a usar mais energia limpa e quebrar o próprio recorde de tempo sem usar energia elétrica vinda da queima de carvão, com quase 20 dias.

A última vez que o Reino Unido tinha conseguido passar tanto tempo sem usar carvão foi durante a Revolução Industrial.

Segundo a empresa de eletricidade e gás britânica National Grid, até o dia 30 de abril, as plantas de queima de carvão não ajudam no fornecimento de energia do Reino Unido há 18 dias, seis horas e 11 minutos, o maior tempo desde 1882.

O confinamento contra o novo coronavírus fez com que a demanda por energia elétrica caísse no país.

Para atender a demanda de energia do país, a energia solar acabou se tornando a maior contribuinte. O clima bom favoreceu a produção de eletricidade, e as fazendas solares geraram mais de 9.6GW pela primeira vez, segundo a Universidade de Sheffield.

A queima de carvão é a principal fonte de energia do Reino Unido, que se comprometeu a abandonar a prática e fechar os locais restantes de produção de energia até 2025. O país também se comprometeu a reduzir a emissão de gás carbônico até 2050, mesmo com a dúvida de ambientalistas sobre como isso será feito.