Virtz Dupla ilumina o céu ao criar trenó motorizado em Brumadinho (MG) 

Dupla ilumina o céu ao criar trenó motorizado em Brumadinho (MG) 

Iniciativa de um dentista e um instrutor de voo transformou a paixão por voar em um jeito de trazer de volta a magia do Natal para a população da cidade

  • Virtz | Natália Jael, da Record TV Minas

Um instrutor de voo e um dentista resolveram fazer um trenó para lá de diferente, em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte. Se a pandemia pode atrapalhar a comemoração de Natal, a dupla abusou da criatividade para que a celebração desde ano não seja menos especial. 

Uma paixão que há seis anos faz parte da vida do Gustavo Durães. Dentista por profissão, encontrou no paramotor, um paraquedas movido por uma hélice, um jeito de se divertir e relaxar. 

Ele, agora, decidiu juntar a paixão com a celebração e levou luzes para o céu e encantar que gosta de Natal.

— A gente quer tentar trazer de volta esse mundo da fantasia, do Natal.

O equipamento foi enfeitado com luzes específicas dessa época do ano. E o voo que costuma seguir um padrão, dessa vez teve um desafio a mais. 

Trenó foi feito a partir de um paramotor

Trenó foi feito a partir de um paramotor

Reprodução/RecordTVMinas

— As dificuldades são grandes. Estou à noite, não dá para enxergar muito, estou contando com ajuda de amigos para poder estar iluminando a decolagem e o pouso. 

Durães pulou do Topo do Mundo, na região de Brumadinho, às margens da BR-040 e próximo a alguns condomínios. Já pelo chão outra surpresa, um equipamento decorado como um trenó decolou.

Aos poucos a magia do Natal tomou conta do céu. Populares que acompanhavam o voo aumentaram a espectativa de que o Papai Noel está chegando.

"Eu vi, foi bem legal. Foi uma ideia muito boa para poder revitalizar isso que nós estamos perdendo com a pandemia", disse uma popular. 

O voo durou cerca de 30 minutos e, segundo os pilotos, foi tranquilo, assim como o pouso. O papai noel é o Carlos Gomes. Ele é português e mora no Brasil desde 1996. Já são 20 anos de voo e, apesar da experiência, foi a primeira vez que ele fez algo assim.

— Foi uma experiência muito bacana. Fazendo isso mais vezes é uma alegria imensa.

Além da experiência do voo, os dois criadores garantem que a maior emoção foi ver a felicidade de quem parou para olhar o céu.

— As pessoas pararam os carros e outras apontaram as lanternas, foi legal. Sensação de dever cumprido. 

Últimas