Em países que dão a BCG, como o Brasil, covid mata 10 vezes menos

Em regiões que aplicam a vacina a recém-nascidos, taxa de mortalidade é de 4,28 a cada um milhão de pessoas, contra 40 onde isso não ocorre

Vacina pode ter que ser reaplicada em adultos

Vacina pode ter que ser reaplicada em adultos

Marcello Casal Jr./Agência Brasil/02.04.2020

Os países que não têm política de vacinação BCG tiveram dez vezes mais mortes com a covid-19. O levantamento, feito por médicos nos EUA e no Reino Unido, que analisou dados de 178 países.

Saiba como se proteger e tire suas dúvidas sobre o novo coronavírus

O BCG, ou Bacillus Calmette-Guérin, é uma vacina contra a tuberculose administrada em recém-nascidos de países que historicamente sofrem com a doença, como a Índia.

Países mais ricos, como EUA, Itália e Holanda, nunca tiveram uma política universal de vacinação contra BCG.

O estudo analisou a mortalidade causada pelo novo coronavírus entre 9 e 24 de março em 178 países e concluiu que “a incidência do covid-19 foi de 38,4 por milhão nos países com vacinação BCG em comparação com 358,4 por milhão na ausência de tal programa.

A taxa de mortalidade foi de 4,28 a cada um milhão nos países com programas BCG em comparação com 40 a cada milhão nos países sem esse programa.  

"Embora esperássemos ver um efeito protetor do BCG, a magnitude da diferença (quase 10 vezes) na incidência e mortalidade (da covid-19) entre países com e sem um programa de vacinação contra o BCG foi agradavelmente surpreendente", disse o Dr. Ashish Kamat, coautor do estudo e professor de Oncologia Urológica e pesquisa de câncer no Anderson Cancer Center, em Houston, Texas.

A vacina infantil, no entanto, pode não servir para garantir a imunidade por toda a vida.

“Mas um teste de PPD (derivado de proteína) pode indicar se uma pessoa ainda tem imunidade por BCG ou se precisa ser revacinada. Isso poderia ser usado para vacinar seletivamente grupos de alto risco ou para decidir quem poderia ser mais seguro contra a doença e voltar para o trabalho, por exemplo ”, disse Kamat.

No início desta semana, um estudo do Instituto de Tecnologia de Nova York também observou que países com uma política universal de vacinação, como Japão e Brasil, pareciam ser menos impactados pelo Covid-19 em comparação com aqueles que não eram, como Itália, EUA e Holanda.