Empresa reabre sala de costura para produzir 36 mil máscaras

Vicunha doará os acessórios de tecido para funcionários da empresa e comunidade, em ação para ajudar no combate à pandemia do coronavírus

Empresa reabre sala de costura para produzir 36 mil máscaras

Vicunha produzirá máscaras de tecidos para doação no combate à covid-19

Vicunha produzirá máscaras de tecidos para doação no combate à covid-19

Divulgação/ Vicunha

A multinacional brasileira Vicunha uniu-se aos esforços de outras empresas para ajudar no combate à pandemia de covid-19.

Referência em termos de roupas e tecidos, a empresa decidiu reabrir a sala de costura de sua companhia, sediada no município de Guarulhos, em São Paulo, para produzir 21 mil máscaras de tecido que serão doadas aos funcionários da companhia e suas famílias. Farão, ainda, cerca de 15 mil unidades que serão doadas para a comunidade do entorno da companhia e instituições que necessitem desse auxílio.

A produção das máscaras de tecido deve ocorrer até o final de junho, com número reduzido de funcionários, seguindo o protocolo de saúde e prevenção criado pela empresa para conter o novo coronavírus.

"Estamos trabalhando diariamente para tomar todas as medidas necessárias, preocupados com o bem-estar das nossas pessoas, com a preservação dos empregos e com a sustentabilidade do nosso negócio", diz José Maurício D'Isep, CEO da Vicunha.

"Dentro das nossas atividades diárias, saúde e segurança sempre vieram em primeiro lugar e continuamos levando em conta esses pilares em todas as nossas ações neste momento, não medindo esforços para levar, dentro do possível, saúde e segurança para pessoas além da companhia", afirma ele.

Suporte a instituições de ensino

Essa ação ocorre em paralelo a um projeto da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), que recebe o apoio da Vicunha. Desde o avanço da pandemia em Recife, a universidade tem sofrido um impacto expressivo em suas operações. Para ajudar docentes, alunos e a comunidade local, a UFPE tem produzido máscaras e equipamentos de proteção individual com tecidos doados pela Vicunha.

A empresa dá suporte também à Avenues World School, na capital paulista. Por meio de um grupo de professores, alunos e pais de alunos, a escola está desenvolvendo máscaras de proteção para profissionais de saúde e comunidades carentes.

A escola paulistana está recebendo doação de tecidos da companhia e também criou um crowdfunding (sistema de financiamento coletivo) para produzir esses itens e contratar costureiras.

Essas iniciativas fazem parte do compromisso da empresa em contribuir para conter a disseminação da doença no país, além de apoiar funcionários e comunidades e, ainda, prestar ajuda aos profissionais de saúde que estão atuando no combate à pandemia.

No último mês, a Vicunha doou tecidos para que o grupo Guararapes pudesse produzir mais de 40 mil itens médico-hospitalares para a rede de saúde pública. A companhia também prestou auxílio às secretarias de saúde dos estados do Ceará e do Rio Grande do Norte, por meio de doação de 27 mil EPIs (equipamentos de proteção individual).