Virtz Estudante de Direito decide plantar árvores em nove regiões de Goiânia

Estudante de Direito decide plantar árvores em nove regiões de Goiânia

Projeto envolve parques e praças. Três pontos da cidade receberam mudas de ipê branco, resedá e oiti. Voluntária pretende concluir a ação até 31 de agosto

  • Virtz | Eduardo Marini, do R7

Chris Souza planta uma muda da árvore Oiti no Parque Taquaral, noroeste de Goiânia

Chris Souza planta uma muda da árvore Oiti no Parque Taquaral, noroeste de Goiânia

Rafael Dias/Divulgação

A estudante de Direito Christiane Souza, 26 anos, resolveu ser protagonista de uma ação que combina preservação ambiental e bons exemplos em plena pandemia. Secretária-geral da União Estadual dos Estudantes (UEE) de Goiás e coordenadora do coletivo estudantil Para Todos, Chris Souza, como é conhecida, começou no início de agosto uma caminhada individual associada ao plantio de árvores em nove regiões de Goiânia.

Até agora, concluiu o trabalho em três desses pontos. Espera finalizar a empreitada até o próximo dia 31 de agosto, pois precisou interromper os trabalhos para cumprir quarentena por ter adquirido e manifestado sintomas do coronavírus. Ela detalha a ação nessa entrevista ao R7:

Quando e como surgiu o projeto de plantar mudas de árvores pessoalmente em nove regiões da cidade de Goiânia?

Decidi em 5 de junho último, Dia Mundial do Meio Ambiente, a partir de reflexões sobre o tema com amigos e parceiros. Concluímos que, se cada um fizer um pouco, a sua parte, mesmo com atitude simples, a soma das ações pode gerar um resultado positivo, capaz de diminuir os impactos de eventuais erros do poder público na questão. E a melhor maneira de mobilizar as pessoas em maior escala é dar o exemplo. Então decidi fazer, eu mesma, uma caminhada de vários dias pela preservação ambiental, associada ao plantio das mudas de árvores, por nove regiões da cidade. São elas: Noroeste, Mendanha, Região Central, Meia Ponte, Norte, Sudoeste, Sul, Oeste e Leste.

O que conseguiu plantar até agora?

Comecei a caminhada e o plantio no dia 1º de agosto. O plano era concluir em 12 de agosto, Dia Internacional da Juventude pelas Nações Unidas, mas precisei dar uma pausa no dia 5 por questões pessoais. Eu e meu marido, Rafael Dias, que documenta e fotografa o projeto, fomos contaminados com o coronavírus. Desenvolvemos sintomas, entre eles febre, tosse, dor de garganta e alguma infiltração nos pulmões. Rafael ficou mais abatido do que eu. Fizemos a quarentena, tomamos as medicações e agora estamos bem. De 1º a 5 de agosto, antes da pausa, plantei uma muda de ipê branco na Praça Universitária, Região Central de Goiânia, outra de Resedá, no Parque Macambira Anicuns, no Sudoeste, e a terceira da variedade Oiti, no Parque Taquaral, noroeste da cidade.

Estudante pretende incluir mudas de ipê rosa e amarelo nas próximas etapas do projeto

Estudante pretende incluir mudas de ipê rosa e amarelo nas próximas etapas do projeto

Rafael Dias/Divulgação

Faltam ainda seis regiões. Quando pretende concluir o projeto?

Estamos liberados pelos médicos. Meu plano é retomar o plantio ainda nesta semana e encerrar até a terça-feira 31 de agosto. Pretendo incluir mudas de ipê rosa e amarelo nas próximas etapas.

Onde conseguiu as mudas?

Elas foram doadas pela prefeitura, que tem um bom viveiro municipal. Goiânia possui áreas verdes consideráveis quando comparadas à média nacional. É considerada a cidade mais arborizada do país. E, de acordo com algumas comparações internacionais, a segunda do mundo, atrás apenas de Edmonton, no Canadá. Mesmo assim é preciso tomar cuidado e gerar ações como essa. Segundo um estudo divulgado pelo Instituto Terra Brasilis, Goiás está em segundo lugar no ranking de desmatamento do cerrado brasileiro, que tem apenas 19% da área original preservada no país. Além de ajudar a conscientizar a população, iniciativas como essa chamam atenção para o compromisso de fiscalização e cobrança dos órgãos públicos em nome da preservação ambiental.

Últimas