Virtz Estudantes recebem prêmios por planos para qualidade de vida

Estudantes recebem prêmios por planos para qualidade de vida

Projetos de escolas foram premiados por iniciativas que falam sobre educação sexual, saúde mental e automedicação

Alunos foram premiados por seus projetos que visam melhorar a qualidade de vida

Alunos foram premiados por seus projetos que visam melhorar a qualidade de vida

Reprodução/Pixabay

Um grupo de estudantes do Espírito Santo, de São Paulo e do Sergipe pensaram numa ação para melhorar a qualidade de vida das pessoas ao redor de onde moram. E, por essas iniciativas, acabaram sendo premiados no Desafio Criativos da Escola de 2020, organizado pelo programa Criativos da Escola, do Instituto Alana.

O objetivo dos jovens foi abordar temas que envolvem saúde física e mental, educação sexual e os riscos da automedicação, ensinando e educando a população com temas que nem sempre são debatidos, apesar de sua importância para sociedade.

Por meio de ações online, com conteúdo interativo nas mídias sociais, os alunos do Colégio Estadual Dom Juvêncio de Britto, em Canindé de São Francisco (SE), elaboraram o projeto Beijei! E agora?! - Caminhos para o empoderamento feminino, a fim de orientar jovens sobre educação sexual. A ação pretende abrir espaço para discussões sobre tabus, mitos e preconceitos em relação ao tema.

Já os estudantes da Escola Estadual Gilberto Giraldi, de Vargem Grande do Sul (SP), desenvolveram o projeto Conexão GG. Por meio de um QR Code, a ação busca dar apoio emocional a colegas e familiares que, com relatos anônimos, podem receber orientação de profissionais voluntários. O objetivo é cuidar da saúde mental de quem mais precisa.

Na Escola Estadual de Ensinos Fundamental e Médio Waldemiro Hemerly, em Rio Novo do Sul (ES), os alunos desenvolveram o aplicativo CuidaApp: a saúde na palma da mão.

A iniciativa tem como objetivo levar informação sobre as consequências da automedicação e do uso de medicamentos inadequados aos moradores da cidade, visto que, com a pandemia do novo coronavírus, uma grande parte da população se automedicou.

Últimas