Fundação doa mais de R$ 2,6 mi para reduzir danos da pandemia

Ações incluem amparo a famílias carentes, população em situação de rua e hospitais na capital paulista, região do ABC e em São Luís (MA)

Voluntários organizam as doações de alimentos em São Paulo

Voluntários organizam as doações de alimentos em São Paulo

Montagem/Divulgação

Comprometida em apoiar as comunidades no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus, a Fundação Salvador Arena (FSA) está destinando mais de R$ 2,6 milhões ao amparo a famílias necessitadas, cidadãos em situação de rua e hospitais.

Entre as instituições de saúde atendidas, a Santa Casa de Misericórdia de São Paulo recebeu cerca de R$ 360 mil para a compra de novos sistemas de vácuo, aspiradores  de secreção, monitores multiparâmetros, macas, fios para entubação, entre outros produtos para equipar as Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

"Em razão da pandemia, levamos o projeto desta instituição para aprovação do Conselho de forma extraordinária, com o intuito de ajudá-la a se preparar para o desafio iminente imposto pelo novo coronavírus com a aquisição imediata dos equipamentos", explica Sérgio Loyola, Gerente de Desenvolvimento e Promoção Social da FSA.

Já o Hospital Santa Marcelina recebeu tubos de cobre, conexões e peças para ampliação do pronto socorro, além de mil litros de álcool em gel, totalizando mais de R$ 19 mil em investimentos.

A Fundação também ampliou o Programa de Auxílio Emergencial para Famílias (PAEF), que fornece cartão supermercado a lares em situação de vulnerabilidade social. A indicação é feita pelos colaboradores e, devido ao surto de covid-19, foi ampliado de 400 para 2.100 famílias.

Outra frente é a distribuição de mil refeições diárias, por três meses, para cidadãos em situação de rua no entorno do Largo São Francisco, região central da capital paulista. Para os alunos do Centro Educacional em situação de vulnerabilidade e moradores de bairros carentes da região do ABC Paulista, a Fundação vem fornecendo cestas básicas.

Serão destinados também 300 litros de álcool em gel e cerca de 1.000 cobertores ao Fundo Social de São Bernardo do Campo, que fará a distribuição em diversas comunidades atendidas pelas ONGs da cidade. Um projeto em comum com o Centro Educacional e Profissional do Coroadinho (CEPC), situado em região de extrema vulnerabilidade social em São Luís do Maranhão, permitiu estender as ações da FSA na comunidade e garantir a chegada de alimentos e produtos de limpeza.

"Estas ações extraordinárias foram iniciadas em março, logo que entramos em isolamento social, e seguirão em desenvolvimento até o mês de agosto, em paralelo aos demais projetos sociais estabelecidos em nosso calendário. ", finaliza Loyola.