Virtz Homem que não se formou por não ter verba cria bolsa para alunos

Homem que não se formou por não ter verba cria bolsa para alunos

Depois de 60 anos que ingressou na faculdade, Calvin Tyler está destinando 20 milhões de dólares para ajudar estudantes

  • Virtz | Do R7

Casal doou mais de 20 milhões de dólares para universitários

Casal doou mais de 20 milhões de dólares para universitários

Reprodução/Facebook Morgan State University

Calvin Tyler se matriculou como estudante de administração de empresas em 1961 no Morgan State College (agora Morgan State University) em Baltimore, nos Estados Unidos. Porém, em 1963, ele ficou sem dinheiro para pagar as mensalidades e teve de largar a universidade.

Na época, Calvin conseguiu um emprego de motorista de uma empresa de entregas. A falta do diploma não o atrapalhou: 35 anos depois, em 1998, Calvin tornou-se vice-presidente sênior de operações nos Estados Unidos e fazia parte do conselho de diretores da empresa.

Pensando no seu passado difícil, em 2002, ele e sua esposa estabeleceram o Fundo de Bolsas de Estudos do Fundo Calvin e Tina Tyler para ajudar os jovens que não tinham condições de estudar nas universidades.

Doações milionárias

Ao conceder bolsas de estudo integral para alunos carentes de Baltimore, eles esperavam abrir as portas para que os jovens tivessem oportunidades na vida. Em 2016, os Tylers doaram 5 milhões de dólares para a causa. Agora, em 2021, o casal quer contribuir com ao menos 20 milhões de doláres para os estudantes.

“Queremos ter mais bolsas de estudo integral oferecidas aos jovens para que eles possam se formar na faculdade e entrar na próxima fase de sua vida sem dívidas”, disse Calvin para um jornal local.

O presidente da Morgan State University, David Wilson, agradeceu o apoio do casal com os seus futuros alunos. “Por meio de suas doações históricas, as portas do ensino superior certamente serão mantidas abertas para gerações de aspirantes a líderes cujas deficiências financeiras podem tê-los impedido de perceber seus sonhos acadêmicos", afirmou.

Últimas