Virtz Homem usa máquina de escrever na rua para produzir cartas

Homem usa máquina de escrever na rua para produzir cartas

Desconhecidos podem pedir para que o escritor digite mensagens para amigos ou parentes que estão se sentindo tristes durante a pandemia

  • Virtz | Do R7

Brandon deixa sua máquina de escrever ao lado da caixa de correios

Brandon deixa sua máquina de escrever ao lado da caixa de correios

Reprodução/Facebook Brandon Woolf

Brandon Woolf, diretor de teatro, professor, escritor e criador de conteúdo de 37 anos, do Brooklyn, nos Estados Unidos, resolveu ir para a rua com sua máquina de escrever. Essa foi a forma que ele encontrou para ajudar as pessoas a enviar cartas para amigos que estão passando por dificuldades, seja financeira ou psicológica, durante a pandemia do novo coronavírus. Ele chamou esse projeto de "Console".

Em uma entrevista para o The Park Slope Scribe, o escritor disse as conexões usando a tecnologia virou algo banal, mas receber uma correspondência em sua caixa de correio, de alguém de quem você não esperava receber notícias, é muito gratificante.

Divulgando seu projeto solidário, Brandon escreveu em seu Facebook, "por um mês, estarei ao lado da caixa de correios, com papel, selos e desinfetante para as mãos, pronto para escrever para você. Juntos, se quisermos, podemos dedicar um momento para digitar uma nota de consolo, uma carta para um amigo que você acha que poderia animar. Não sei o que você gostaria de dizer, mas venho coletando sugestões, espero ver você lá. Haverá música. E muffins, talvez. A máquina de escrever te espera."

Usando uma máquina de escrever portátil e sentado em uma cadeira dobrável ao lado de uma caixa de correio, sua placa diz: “Cartas grátis para amigos que se sentem tristes.” Até o momento, foram mais de 50 correspondências escritas pelo homem.

Últimas