Ingleses adiam festa de casamento e doam banquete a sistema de saúde

Casal precisou suspender festa no isolamento e mandou bufê entregar a comida para 400 funcionários que atendem vítimas do covid-19 na cidade

Casal doou banquete para funcionários do NHS, o sistema de saúde inglês

Casal doou banquete para funcionários do NHS, o sistema de saúde inglês

Divulgação/NHS

Os ingredientes do banquete de casamento dos britânicos Fiona e Adam Gordon, para 120 convidados, em Kingston-upon-Hull, cidade turística do litoral nordeste da Inglaterra, estavam todos comprados pela empresa de catering Galloping Gourmet.

No cardápio, canapés, salada e muito rosbife e leitoa assada.

Faltavam poucos dias para o rega-bofe quando o governo britânico, na luta contra o coronavírus, determinou o isolamento dos cidadãos em casa e o cancelamento de aglomerações públicas e da formação de grandes grupos.

Diante do sinal vermelho, o casal tomou uma decisão de grande cidadania: foi em frente com os rituais do casamento, tendo como testemunhas apenas dois amigos, mas cancelou a festa de comilança e doou toda a comida do banquete para 400 funcionários de dois hospitais da cidade incluídos no National Health Service (NHS), o sistema nacional de saúde britânico.

"Estamos felizes em ajudar a trazer um pouco de luz em meio de tudo isso (a pandemia). Em momentos como esse você percebe o que é realmente importante", declarou Fiona ao jornal The Birmingham Mail. "Ter conseguido ajudar de alguma forma nos encheu de orgulho", acrescentou a noiva.


Tony Norris, administrador da empresa de catering, contou com a ajuda de uma instituição de caridade local, a Hull4Heroes, para servir a comida. A salada, o rosbife e a leitoa foram divididos em centenas de sanduíches para os 400 enfermeiros, médicos e funcionários de apoio. Até mesmo os diretores dos dois hospitais participaram da boquinha - e depois agradeceram pessoalmente o casal.

E, como uma boa atitude costuma atrair outra, Paul Matson, fundador da Hull4Heroes, e Tony Narroe, veterano da Marinha Real Inglesa e voluntário da instituição, organizaram uma vaquinha entre integrantes e amigos na cidade e deixaram um crédito na empresa de catering para Fiona e Adam promoverem algo junto aos seus convidados quando a situação se normalizar.

Crédito que será “muito bem aproveitado”, prometeu Adam. "A sensação que tivemos ao fazer a doação foi absolutamente incrível, mas é claro que os verdadeiros heróis são os trabalhadores da instituição de caridade e, sobretudo, do sistema de saúde", comparou Fiona.