Instituto faz campanha para doar alimentos a famílias vulneráveis

Fundado pela chef Ana Luiza Trajano, o Instituto Brasil a Gosto propõe escoar produção agrícola quilombola e caiçara para famílias durante a pandemia

Divugação/ Instituto Brasil a Gosto

Diversas entidades que trabalham com a gastronomia brasileira têm se empenhado em ser solidárias neste momento de isolamento social, provocado pela pandemia de covid-19. O Instituto Brasil a Gosto, fundado e presidido pela chef Ana Luiza Trajano, está lançando uma campanha de doação de alimentos para famílias em situação de vulnerabilidade social.

Os objetivos da ação envolvem ajudar a escoar o excedente de produção das comunidades quilombolas e caiçaras do Vale do Ribeira e doar esses ingredientes para a alimentação de famílias que estejam necessitando, no estado de São Paulo.

A campanha funciona a partir da plataforma de financiamento coletivo Kickante. Entrando no site, é possível doar valores a partir de R$ 10 reais para contribuir com essa ação.

As doações podem ser feitas em reais ou moedas estrangeiras e é possível parcelar em até 6 vezes com parcela mínima de R$ 25.

Benefícios também para quem doar

As pessoas que contribuírem com doações também serão beneficiadas de alguma forma. Elas terão direito a diferentes recompensas, de acordo com a faixa de contribuição. Dentre os benefícios, os doadores podem ganhar desde um e-book com receitas brasileiras do Instituto Brasil a Gosto até garantir uma vaga em aula online, ao vivo, com a chef Ana Luiza Trajano.

A escolha dos produtores agrícolas do quilombos do Vale do Ribeira ocorreu após mais de um ano de trabalho do Instituto com essas comunidades, que fornecem produtos para a alimentação de alunos da rede pública do Estado de São Paulo.

Com a interrupção das aulas por conta da pandemia, toneladas de alimentos como como banana, abóbora, alface, inhame, mexerica e palmito, produzidos pela Cooperativa dos Agricultores Quilombolas do Vale do Ribeira – Cooperquivale, acabaram se acumulando.

Comprando o excedente

A proposta da campanha é arrecadar recursos para comprar esse excedente e entregá-lo a famílias vulneráveis. Parceiros como Cooperquivale, Instituto Socioambiental, comunidade caiçara da Enseada da Baleia e o Instituto Linha D'água estão apoiando a campanha.

Cada kit entregue será composto por ao menos dez itens entre os 26 produzidos pela Cooperquivale, de acordo com o que estiver na época, somando 15 quilos de alimentos cada um. Além disso, conterá ainda um quilo de peixe seco proveniente de comunidades tradicionais da Ilha do Cardoso e região e beneficiados pela Comunidade Caiçara da Enseada da Baleia, no litoral paulista.