JBS abre mão de descontar R$ 400 mi para a covid-19 de projetos sociais

Irmãos Batista poderiam abater esse valor da multa de R$ 2,3 bilhões do acordo de leniência, mas renunciaram para 'contribuir com reconstrução'

J&F Investimentos reforça a participação na luta contra o novo coronavírus

J&F Investimentos reforça a participação na luta contra o novo coronavírus

Divulgação/ JBS

Os irmãos Wesley e Joesley Batista abriram mão de descontar os R$ 400 milhões que a JBS destinou a projetos e equipamentos de combate à covid-19 da multa de R$ 2,3 bilhões que precisam pagar, em projetos sociais, prevista no acordo de leniência.

Os irmãos poderiam fazer esse abatimento da multa bilionária, depois que "foi homologado termo aditivo ao acordo de leniência firmado entre a holding e o Ministério Público Federal", conforme comunicado do grupo J&F Investimentos.

A Justiça Federal de Brasília validou a decisão dos irmãos, do grupo J&F, de abrir mão do abatimento de multa prevista no acordo de leniência firmado pela empresa.

Na nota, a J&F Investimentos reforça a participação na luta contra o novo coronavírus. "Acreditamos que esse esforço adicional da holding e de seus acionistas será benéfico ao País hoje e no futuro, para contribuir com a reconstrução do Brasil pós-pandemia".

A Justiça Federal validou a decisão dos irmãos, do grupo J&F, de abrir mão do abatimento de multa

A Justiça Federal validou a decisão dos irmãos, do grupo J&F, de abrir mão do abatimento de multa

Divulgação/ JBS

Leia o comunicado na íntegra:

"COMUNICADO J&F INVESTIMENTOS

A J&F Investimentos comunica que foi homologado nesta quarta-feira (13) termo aditivo ao acordo de leniência firmado entre a holding e o Ministério Público Federal. O termo permite que sejam deduzidos do montante de R$ 2,3 bilhões previstos para projetos sociais os “investimentos/projetos sociais, em áreas temáticas relacionadas em apêndice do Acordo de Leniência ou outras temáticas definidas por consenso entre as Partes do Acordo, e, mais especificamente, no combate à pandemia do COVID-19”.

Os acionistas da J&F Investimentos, Wesley e Joesley Batista, decidiram, no entanto, renunciar a este direito no caso da doação anunciada pela JBS na última segunda-feira (11).

Portanto, os R$ 400 milhões destinados ao Brasil para o combate à covid-19 não serão descontados do acordo de leniência, embora isso pudesse ser feito. Acreditamos que esse esforço adicional da holding e de seus acionistas será benéfico ao País hoje e no futuro, para contribuir com a reconstrução do Brasil pós-pandemia.

J&F Investimentos"