Jovens em situação de risco aprendem arte com Cirque du Soleil

Projeto tem parceria com organização Aldeias Infantis SOS Brasil e tem como proposta a transformação de toda a comunidade

Jovens da periferia aprendem com Cirque Du Soleil

Jovens da periferia aprendem com Cirque Du Soleil

Reprodução/Facebook


Aprender a arte do circo com a companhia mais conhecida do mundo nessa arte. E por meio desse aprendizado, desenvolver-se socialmente e contribuir para a transformação de sua comunidade. Isso é o que está acontecendo com jovens em situação de vulnerabilidade social, de 14 a 29 anos de idade, de três cidades paulistas. Eles participam do projeto Circo Social, realizado pela organização humanitária global Aldeias Infantis SOS Brasil com apoio da companhia canadense Cirque du Soleil.

A ideia do projeto é transformar a arte circense em uma ferramenta para promover a inserção social desses jovens, com vínculos familiares ou sociais fragilizados, e contribuir para o seu desenvolvimento social, além de desenvolver sua autonomia, solidariedade e autoestima.

Em entrevista à Agência Brasil, Gabriel Moura, coordenador do programa global de empregabilidade juvenil da Aldeias Infantis SOS Brasil, falou que a metodologia do projeto utiliza a linguagem do circo para o desenvolvimento de diversas habilidades e inserir habitantes da comunidade. Um dos jovens que participou do projeto em 2017, por exemplo, é hoje arte-educador do Circo Social. “A ideia é usar a linguagem do circo como uma linguagem inclusiva. Trabalhar o circo para desenvolver habilidades emocionais”, disse ele.

Segundo Moura, é oferecido inicialmente um ciclo básico de formação de circo com aulas de malabares, acrobacia, solo e de palhaço, por exemplo, tudo certificado pelo Circo du Soleil. O projeto é desenvolvido em três eixos: o primeiro envolve questões como autonomia, educação para a vida, responsabilidade e trabalho em equipe. O segundo é voltado para cidadania e participação. O terceiro é mais focado na inclusão produtiva.

O projeto ocorre nas cidades de São Paulo, Lorena e Rio Claro, todas no estado paulista. Ele será desenvolvido em duas etapas: a primeira delas, de formação introdutória na metodologia Circo Social; a segunda, de apoio à profissionalização de um coletivo de arte-educadores. A primeira etapa já teve início em Lorena, com a participação de 15 jovens, e em São Paulo, com 10 jovens. Em Rio Claro, as atividades devem começar em março e a expectativa é de que 25 jovens participem do projeto.

A parceria entre a Aldeias Infantis SOS Brasil e o Cirque du Soleil ocorreu por meio do Cirque du Monde, rede criada pela companhia canadense que articula organizações de diversos países que trabalham com o Circo Social. A parceria entre Aldeias Infantis SOS e Cirque du Soleil teve início com um projeto piloto no México, passou pelo Peru e, em 2017, começou sua operação no Brasil.

* Com informações da TV Brasil