Mercado de plantas faz 'saldão' para ajudar pequenos produtores

Mercadão das Flores teve de adiar inauguração, que aconteceria na segunda-feira (30), em São Paulo, e lançou ação para que lojistas não se prejudicassem

Mercadão das Flores lançou Ação Florescer

Mercadão das Flores lançou Ação Florescer

Reprodução/Instagram/@mercadaodasfloressp

A pandemia do novo coronavírus fez com que muitas empresas tivessem de mudar diversos planos para se adequar às regras de quarentena. E o Mercadão das Flores de São Paulo, que ainda nem foi inaugurado, foi uma delas.

O megaempreendimento de comercialização de plantas, flores e acessórios de jardinagem sairia do papel e abriria suas portas na última segunda-feira (30), na Vila Leopoldina, mas, seguindo as orientações dos órgãos de saúde e do Governo de São Paulo, adiou a inauguração.

Acontece que, parelelamente ao adiamento, havia diversos lojistas — na maioria pequenos produtores — com os produtos prontos, que, sem terem onde vender, sairiam no prejuízo.

"Nossa grande preocupação não era com a inauguração, mas sim com a cadeia produtiva, pois flores e plantas são tão perecíveis quanto alimentos. Os pequenos produtores teriam de descartar a produção e sairiam muito prejudicados", diz Luciana Zappala, da equipe de marketing do Mercadão das Flores.

Foi então que Edenia Carvalho e Anderson Borges, proprietários do empreendimento, lançaram a "Ação Florescer", que, por meio da internet e de sistema de delivery que abrange 30 bairros de São Paulo, colocou os produtos à venda a preço de custo.

"Os valores arrecadados são 100% revertidos para os fornecedores. Normalmente, os pequenos produtores empregam pessoas do campo e não têm uma rede de apoio para pagar os funcionários e sobreviver", explica Anderson, que é diretor do Mercadão. "Os produtores maiores têm grandes campos, outro tipo de colheita, mais folego. Os menores realmente ficam muito fragilizados em uma situação assim."

Para colocar o projeto em prática e realizar as vendas, a equipe criou um novo site, além do oficial, e divulgou apenas para algumas pessoas. O que eles não imaginavam era que o sucesso seria tão grande que, em poucas horas, a página ficaria sobrecarregada e sairia do ar.

"A gente está muito feliz. Nossa proposta sempre foi manter essa cadeia produtiva muito viva, com esses produtoes que vivem disso, que dependem disso para sobreviver", comemora Edenia.

"Quem participa da ação consegue se sentir bem duplamente, pois dá vida para a casa com flores e plantas, que são o alimento da alma, e ajuda um produtor do campo."

Para comprar e ajudar a Ação Florescer, acesse o site www.mercadaodasfloresonline.com.br ou o perfil oficial da empresa no Instagram: www.instagram.com/mercadaodasfloressp.