Mestra de bateria forma músicos na periferia de São Paulo

Silvanny Sivuca forma percussionistas no Jardim Pantanal, na zona leste da cidade, e além de desfilar com eles no Carnaval, já tocou no Rock in Rio

Mestra de bateria, Silvanny Sivuca traz jovens periféricos para o Carnaval de SP

Mestra de bateria, Silvanny Sivuca traz jovens periféricos para o Carnaval de SP

Divulgação

Percussionistas formados por um projeto na periferia de São Paulo vão desfilar em um bloco de rua na segunda-feira de Carnaval (24), na avenida Henrique Schaumman, em Pinheiros, zona oeste da cidade. O bloco Me Lembra Que Eu Vou tem como mestres de instrumentos alunos capacitados pelo Instituto Alana, que atua no Jardim Pantanal, na zona leste, região que sofre constantemente com alagamentos em dias de forte chuva na capital

Leia também: Estudantes da periferia de São Paulo criam luva robótica

À frente deles está a musicista, diretora, e mestra de bateria do bloco, Silvanny Sivuca que, entre outros projetos, é também percussionista dos rappers Emicida e Fióti. A mestra atuava no instituto e ali, junto com a professora de canto e violão, Adriana Biancolini, decidiu criar a Banda Alana, com a ideia de aproveitar mais o tempo que passavam com os jovens.

A dupla criou também a produtora FBA, para trabalhar em eventos, gerando renda para os alunos. Silvanny conta que, na periferia, muitos jovens acabam tendo que assumir responsabilidade pelas contas da casa muito cedo e participar da banda é uma chance de capacitação que abre a possibilidade de bancarem as despesas da família. 

Leia também: Organizadores de blocos se queixam de arrastões e falta de banheiros

A formação do bloco teve o mesmo intuito. Conhecido como Me Lembra, foi criado em 2015 com a intenção de dar oportunidade de um primeiro emprego a seus alunos no meio musical. Na bateria do bloco, eles assumem papel de músicos e ajudam a mestra a comandar, ao todo, 110 ritmistas de surdo, timbal, tamborim, agogô, chocalho, repique, caixa, guira e pratos. Quem participa da bateria paga mensalidades que são revertidas, entre outros gastos, no pagamento dos músicos.

De acordo com Sivuca, os alunos têm a oportunidade de serem contratados para serviços remunerados não só pelo bloco Me Lembra, mas também para qualquer outra atividade musical, devido ao condicionamento adquirido dentro do projeto da banda.

Leia também: Saiba como proteger o celular para sair nos blocos de Carnaval

Em contratos fechados pela produtora, Silvany e os músicos que ela formou já se apresentaram em grandes eventos. Tocaram em todos os dias do Rock in Rio 2019 e participaram das aberturas de eventos de e-Sports.

Criada em 2007, a Banda Alana é composta hoje por cerca de 30 alunos com idades entre 11 e 21 anos, todos moradores da zona leste. Hoje o grupo  está profissionalizada e acumula mais de 180 shows, com um público que já ultrapassou os 100 mil espectadores. Além disso, o projeto conta com uma escolinha, atualmente com 25 crianças.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Ana Vinhas