Mulher passa a trabalhar em asilo para ficar perto de marido doente

Por amor, Mary Daniel começou um emprego novo numa casa de repouso, nos Estados Unidos, só para ver seu cônjuge, que sofre de Alzheimer

Mary começou a trabalhar na cozinha de asilo onde seu marido mora

Mary começou a trabalhar na cozinha de asilo onde seu marido mora

Reprodução/Facebook Mary Shannon Daniel

Mary Daniel já estava há 114 dias sem poder visitar seu marido, Steve, numa casa de repouso na Flórida, nos Estados Unidos. Antes da pandemia causada pelo novo coronavírus, ela costumava ir todas as noites ver seu esposo e colocá-lo para dormir. Ele sofre de Alzheimer e precisa morar na instituição. Porém as regras de visitação mudaram por conta da covid-19 e ela não podia mais ver seu marido.

"Coloquei Steve em um centro de atendimento à memória e tudo estava indo muito bem, ele estava prosperando com todas as pessoas e, em março, obviamente tudo mudou", diz Mary à CBS News.

Mary enviou quase 100 mensagens ao governador da Flórida, Ron DeSantis, pedindo permissão para visitar seu marido, mas seu pedido não foi aceito.

Então, a mulher começou a visitar Steve do lado de fora de seu quarto, através da janela. “Ele apenas chorou. Era difícil explicar a situação para ele."

Mary ficou um tempo visitando seu marido apenas pela janela da instituição

Mary ficou um tempo visitando seu marido apenas pela janela da instituição

Reprodução/Facebook Mary Shannon Daniel

O escritório do asilo, vendo a saudades e o desespero da mulher, resolveu lhe oferecer um emprego como lavadora de pratos. A partir daí, no começo de julho, Mary tem trabalhado na cozinha da instituição para passar mais tempo ao lado do seu amado. 

"Depois de 114 dias, eu abracei meu marido hoje. Eu também lavei muitos pratos", escreve Mary Daniel em seu Facebook.

Mary e Steve agora estão finalmente juntos, depois de 114 dias separados

Mary e Steve agora estão finalmente juntos, depois de 114 dias separados

Reprodução/Facebook Mary Shannon Daniel