Virtz Na quarentena, produzir conservas vira lazer aliado à boa saúde

Na quarentena, produzir conservas vira lazer aliado à boa saúde

Em livro lançado durante a pandemia, autores desvendam o universo da fermentação, com receitas fáceis, saborosas e ricas em probióticos

  • Virtz | Luciana Mastrorosa, do R7

Conserva de manga fermentada, uma das opções para fazer em casa

Conserva de manga fermentada, uma das opções para fazer em casa

Ding Musa/Divulgação

Fermentar alimentos é uma arte antiga. E, ao contrário do que muita gente imagina, diversos produtos do dia a dia passam por algum tipo de fermentação, como o chocolate, a cerveja, o vinho e as azeitonas.

Durante a pandemia do novo coronavírus, com a maioria das pessoas isolada em casa, fazer pão, por exemplo, virou moda e até uma espécie de terapia. Assim como a panificação, outra atividade culinária que vem ganhando espaço entre aqueles que ainda podem ou precisam ficar mais tempo em casa é a produção de conservas. Além de saborosas e nutritivas, elas são uma forma saudável de preservar os alimentos por mais tempo, como verduras, legumes e temperos.

A dupla Fernando Goldenstein Carvalhaes e Leonardo Alves de Andrade é adepta de conservar os alimentos usando as técnicas de fermentação. Durante a pandemia, eles lançaram o livro "Fermentação à brasileira - Explore o universo dos fermentados com receitas e ingredientes nacionais" (editora Melhoramentos). A obra é bastante completa e uma das pioneiras, no Brasil, a abordar o assunto, focando principalmente nos produtos nacionais.

Fernando e Leonardo e algumas de suas peripécias fermentativas

Fernando e Leonardo e algumas de suas peripécias fermentativas

Ding Musa/Divulgação

Fernando acredita que a obra veio em boa hora pois, durante a pandemia, as pessoas fizeram um movimento de olhar para dentro e enxergar essa "disbiose" mundial.

"Passamos a olhar para a velocidade e a voracidade com que as coisas estão sendo feitas, em como estamos 'devorando' nossos recursos naturais", afirma ele, em entrevista ao R7.

E as conservas acabam, de certa forma, se encaixando nesse movimento de esperar o tempo certo das coisas, de aproveitar ao máximo o que a natureza oferece de uma maneira segura e barata, sem abrir mão da saúde.

O autor avalia que, por conta do isolamento imposto pelo novo coronavírus, as pessoas quiseram entender mais não apenas sobre o processo fermentativo, mas sobre a produção de comida, em geral.

Especialmente nos primeiros momentos do distanciamento, muitos passaram a se dedicar à cozinha como nunca antes na vida. "As pessoas começaram a se preocupar em entender a produção de comida do campo ao prato", diz ele.

"A fermentação lembra a gente dos processos que são lentos. O chucrute [conserva de repolho] não vai ficar pronto em dois dias, você não compra um vinho com a safra do ano, não tem como apressar certas coisas. E a gente tem que respeitar os tempos da terra, dos outros organismos", lembra Fernando.

Da produção ao ensino de conservas

Antes de compilar informações sobre os processos biológicos envolvidos na fermentação e desenvolver receitas fáceis de reproduzir em casa, a dupla já se dedicava a esse universo. Criaram a Cia dos Fermentados, há 5 anos, e também a Escola Fermentare, onde ensinam muitas das técnicas apresentadas no livro.

"A companhia tem 5 anos e a escola tem 4. Entendemos, desde o início, que tínhamos de explicar para as pessoas o que estávamos fazendo", conta Fernando. Durante a pandemia, as aulas presenciais foram suspensas, mas seguem no formato online, inclusive com um curso gratuito de introdução à fermentação, disponível no site da Escola Fermentare

"O livro é um movimento natural de todo o nosso trabalho, é a consagração e a consolidação de todo o resgate, documentação e preservação dessas técnicas, além de trazer muita informação científica", diz ele.

Agora, a dupla trabalha na produção de um segundo e terceiro livros para completar a trilogia sobre o tema. 

Fortalecimento da saúde

O autor destaca, ainda, os benefícios de se produzir as próprias conservas: além de ser um processo ótimo para aproveitar os nutrientes dos alimentos e, também, de aprender algo novo, os fermentados trazem potenciais benefícios para a saúde, pois são ricos em micro-organismos que reforçam a microbiota intestinal e, por consequência, ajudam a fortalecer a imunidade. 

Livro ensina a fazer suas próprias receitas fermentadas em casa

Livro ensina a fazer suas próprias receitas fermentadas em casa

Divulgação

"Não somos daqueles que falam que comida é remédio. Mas, se você se alimentar bem, certamente vai ter uma vida mais saudável", diz ele.

Fernando lembra da importância do consumo de probióticos, muito presentes nesse tipo de alimento. Probióticos são os micro-organismos que colaboram para a saúde humana.

"Acredito que é importante a gente se alimentar mais como nos alimentávamos antigamente. A gente acha que tem um monte de comida diferente no mercado e, no fim, é tudo a mesma coisa! É uma ilusão de escolha. Não é que as pessoas têm de fazer o proprio pão, a própria conserva, mas é importante entender como são feitos para poder escolher."

Últimas