Pacientes de UTI recebem vídeos de familiares para matar a saudade

Projeto no Hospital de Base do Distrito Federal usa a tecnologia para a melhora clínica dos doentes

Interação com a família pode  ajudar no estado clínico do paciente

Interação com a família pode ajudar no estado clínico do paciente

Davidyson Damasceno/Ascom IGESDF

Profissionais do Hospital de Base no Distrito Federal criaram um projeto para aproximar pacientes de UTI contaminados pelo novo coronavírus e seus familiares. Com as visitas suspensas, a equipe criou um canal para receber vídeos, fotos e mensagens que são exibidos pelas telas dos celulares.

“Entendemos que a presença da família colabora para melhora clínica dos pacientes. Nos dias de hoje, com a tecnologia que temos, nada justifica que os pacientes fiquem ser ter contato com os familiares”, diz a especialista em psicologia hospitalar do Iges-DF, Priscila Hamdam.

Uma conta de e-mail foi criada para colocar a ideia em prática. “Agora, eles mandam vídeos e fotos diariamente. Algumas famílias enviam quatro vídeos por dia. Até parentes que não vinham ao hospital estão visitando os pacientes com essa nova alternativa”, conta.

O foco do projeto são os pacientes que estejam acordados e conscientes, que tenham capacidade de interação. Glória Veiga, 68 anos está internada há 48 dias e se emocionou com as imagens da família cantando.

“Não ver os familiares gera muita aflição. Essa atitude mostra que além de eles estarem preocupados com a saúde física do pacientes, eles estão preocupados com saúde mental. É muito importante ter a oportunidade de vê-la, mesmo não estando próxima fisicamente”, conta Edileusa Veiga, filha de Glória.