Parques temáticos dos EUA voltarão bem diferentes. Confira mudanças

Gigantes da diversão retornarão à ativa até julho. Disney promete 'esquadrão de distanciamento social' para fazer turista cumprir regras contra a pandemia

Parque temático Magic Kingdom, da Disney, reabrirá em 11 de julho

Parque temático Magic Kingdom, da Disney, reabrirá em 11 de julho

REUTERS/Gregg Newton - 16/03/2020

Um dos capítulos mais aguardados do novo normal, o cenário pós-pandemia, é o da reabertura dos parques temáticos dos Estados Unidos, um dos maiores fatores de atração de turistas de todo o mundo – entre eles no mínimo um milhão de brasileiros por ano – para aquele país.

Mas é preciso ter em mente uma certeza: fechados há mais de dois meses por conta do coronavírus, eles voltarão proporcionando experiências bem diferentes.

Os parques americanos estão entre os maiores destinos das viagens nacionais e internacionais não-essenciais, feitas por lazer ou questões pessoais e familiares, sem motivação profissional ou corporativa. Por isso, a ansiedade pela reabertura é grande em toda a cadeia de negócios ligados ao turismo no mundo.

“As pessoas precisam ter algo a fazer ao chegarem nos Estados Unidos”, implorou o diretor geral (CEO) da companhia aérea Southwest Airlines, Gary Kelly, em entrevista ao canal americano CNBC. “A Disney World precisa abrir novamente. Os principais parques e seus restaurantes precisam abrir novamente", completou o executivo.

Disney, Universal, Legoland e outros representantes do grupo dos grandes parques temáticos americanos acabam de concluir seus protocolos de segurança junto à Força-Tarefa de Recuperação Econômica do Condado de Orange, na Califórnia, a autoridades da Flórida e de outros estados americanos para o retorno gradual às atividades. Foram definidos dias de retorno e protocolos de recepção e tratamento de frequentadores.

O R7 destaca o que os principais parques divulgaram até agora sobre os procedimentos a serem tomados por visitantes, hóspedes e funcionários a partir da reabertura:

Disney World, SeaWorld Orlando, Epcot Center e Estúdios Disney Hollywood

O SeaWorld voltará em 11 de junho. A Disney planeja reabrir o Magic Kingdom e Animal Kingdom no dia 11 de julho. O Epcot Center e os estúdios Disney Hollywood prometem abrir as portas em 15 de julho. As datas estão para serem aprovadas pelas autoridades da Florida.

As lojas e restaurantes de Disney Springs no centro da Flórida estão parcialmente reabertas desde 20 de maio, mas as plataformas de entretenimento permanecem fechadas. A volta da Adventure, a unidade da Disney na Califórnia, será um pouco depois, pois as leis sanitárias daquele estado estão entre as mais rigorosas dos Estados Unidos.

A atividade terá capacidade reduzida. A temperatura será verificada na chegada - visitantes e funcionários com mais de 100,4 graus Fahrenheit, equivalentes a 38 graus Celsius, não poderão entrar.

Haverá marcadores de distanciamento, limpeza constante dos setores, produto para desinfecção das mãos e exigência de máscara para turistas e funcionários. Quem não levar a sua poderá ganhar - ou comprar – uma no local antes de entrar.

A distância sinalizada será de seis pés, medida utilizada nos Estados Unidos, ou aproximadamente 1,83 metro. Brasileiro: adote os dois metros mínimos popularizados por aqui.

Funcionários serão obrigados a fazer intervalos regulares para lavar as mãos, trocar máscaras e garantir o espaço de seis pés entre os turistas e também entre eles próprios. Irão também monitorar suas temperaturas em casa.

Grupos serão atendidos separadamente. Os sistemas de pagamento sem contato, como Google Pay, Apple Pay e outros, por meio de celular e outras ferramentas, será ampliado e incentivado nas lojas, bares, lanchonetes e restaurantes.

Setores de diversão que exigem muita proximidade poderão continuar fechados. Alguns ainda estão sendo avaliados. Hotéis serão reabertos sob novos regulamentos e procedimentos.

Universal promete rigor e lentidão no aumento do limite máximo de visitantes

Universal promete rigor e lentidão no aumento do limite máximo de visitantes

Divulgação

Os restaurantes abriram reservas, mas nem todos estarão em funcionamento no primeiro momento. Cardápios reutilizáveis serão substituídos por descartáveis. Os pedidos para transporte e entrega de alimentos sofrerão restrições. Estacionamentos foram redimensionados para que se cumpra intervalo de pelo menos uma vaga entre um carro e outro.

Passeios, festas e comemorações serão feitas na dimensão de cada grupo, sem relação, contato ou mistura entre eles. As filas para entrar nas atrações serão espaçadas de acordo com os padrões do distanciamento social.

Os desfiles estarão temporariamente suspensos nos dois parques. O SeaWorld vai instalar barreiras de acrílico em trechos de alta concentração, contato e tráfego de pessoas. Janelas de oportunidade para fotos serão reduzidas, pois quase sempre causam proximidade e aglomeração. Todos os procedimentos estarão listados em avisos nas entradas e pontos estratégicos dos parques.

Para aplicar todas essas restrições, a Disney promete um “esquadrão de distanciamento social”, que vai atuar “educadamente, mas com muita efetividade” para fazer os turistas cumprirem as exigências, como afirma ao jornal americano USA Today o vice-presidente sênior de operações do grupo, Jim McGhee.

Estúdios Universal Orlando

Marcado para abrir em 5 de junho, com protocolos e procedimentos iguais aos da Disney. “Vamos aumentar o limite de público muito lentamente", prometeu à força-tarefa o diretor administrativo da Universal, John Sprouls. O estacionamento com manobrista não estará disponível. Carros deverão ser estacionados a uma e, em alguns casos, a duas vagas de distância uns dos outros.

Six Flags Frontier

A unidade de Oklahoma City reabrirá em 5 de junho com as mesmas normas da Disney e da Universal. Outras 24 unidades da rede nos Estados Unidos deverão voltar às atividades em datas próximas. O Drive-Thru Safari de Nova Jersey abrirá os portões em 30 de maio, apenas com ingressos comprados pela internet. Não haverá venda de entrada no local. Os visitantes serão expressamente proibidos de sair dos carros sem autorização de um funcionário.

“Esse novo normal será muito diferente, mas acreditamos que as medidas são apropriadas ao ambiente atual", afirma o presidente e CEO da Six Flags, Mike Spanos, no comunicado sobre a reabertura.

Legoland Flórida
Terá reabertura em 1º de junho, com metade da capacidade e protocolo idêntico ao da Disney. Incentivará firmemente, mas não exigirá, o uso de máscara. Visitantes e hóspedes com temperatura corporal acima do equivalente a 38 graus serão recusados.