Pesquisa testa dividir ventiladores pulmonares e tem bons resultados

Estudo feito por australianos propõe usar um ventilador em duas ou mais pessoas e dá esperança em meio à falta do equipamento em hospitais

Pesquisa 'divide' ventiladores

Pesquisa 'divide' ventiladores

Monash University

Um grupo de pesquisadores australianos deu um grande passo em meio ao problema de falta de ventiladores pulmonares, usados no tratamento de pacientes com covid-19, em hospitais.

Pela primeira vez, os cientistas testaram, em ambiente de simulação, o potencial de um equipamento ventilar os pulmões de mais de uma pessoa. E os resultados conquistados foram motivadores.

Leia também: Cápsula criada no Amazonas evita contaminação de médicos

O estudo foi liderado pelo Dr. Alexander Clarke, do Departamento de Anestesia do Royal Women's Hospital, em Melbourne, e pelo Dr. Shaun Gregory, do Departamento de Engenharia Mecânica e Aeroespacial da Universidade Monash e publicado na revista internacional Anesthesia. Apesar do otimismo, os profissionais destacam que a eficácia da divisão de ventiladores ainda não pode ser garantida.

"A prática não é regulamentada e ainda está sendo testada. Mas, como a pandemia do covid-19 continua crescendo, alguns países, como os Estados Unidos, podem considerar a divisão do ventilador por motivos de compaixão", afirmou Clarke, que também disse que os órgãos sanitários dos EUA aprovaram uma autorização de uso emergencial para a divisão de ventiladores.

E mais: Projeto vai apoiar idosos, pessoas com deficiência e moradores de rua

"Embora a divisão de ventiladores seja uma opção válida, concordamos que, analisando friamente, é uma solução que precisa ser avaliada com cuidado, pois pode causar mais danos do que benefícios", disse o pesquisador.

A pesquisa dos australianos dá esperança no cenário atual da pandemia, já que diversos países do mundo vêm sofrendo com o déficit do equipamento.