Virtz Professores dão aulas com carro de som para alunos de ocupação de BH

Professores dão aulas com carro de som para alunos de ocupação de BH

Projeto transmite conhecimento e mensagens positivas para jovens que moram na Ocupação Dandara, na Pampulha, e não têm acesso a internet

  • Virtz | Regiane Moreira, da Record TV Minas

Professores de uma escola pública do bairro Céu Azul, na região da Pampulha, em Belo Horizonte, estão usando um carro de som para transmitir conteúdo educativo para alunos e moradores da Ocupação Dandara, na capital mineira.

O projeto surgiu na Escola Municipal Professora Ondina Nobre, que está fechada desde o início da pandemia de covid-19. Como parte dos alunos vive na ocupação e não têm acesso à internet, os professores decidiram levar conteúdos não só didáticos, como também mensagens positivas e de superação para os estudantes e para todos os moradores da região.

Veja: Minas vai pagar R$ 51 mi a donos de área da Ocupação Dandara

O conteúdo é transmitido toda sexta-feira por meio de um carro de som que passa pelas ruas da região, e também por caixas de som que ficam na varanda da casa da professora Suzete Furtado, que participa da produção do material.

Carro de som passa por ruas da Ocupação Dandara, em BH

Carro de som passa por ruas da Ocupação Dandara, em BH

Reprodução / Record TV Minas

— Eu faço as edições junto com o meu filho, quase artesanalmente. A trilha sonora é feita pela banda Bequadros, que nos cedeu as músicas de graça. Tudo feito com muito carinho.

Boa recepção

O conteúdo tem agradado os moradores da Ocupação Dandara. A garçonete Jaqueline Cássia de Oliveira conta que, assim que ouve o carro passando, para o que está fazendo só para ouvir as mensagens. Sua filha, Raiane Caroline Miranda, de 11 anos, diz que o carro de som é um meio dela matar a saudade dos professores.

— Eu sinto saudade da escola, dos professores, então é bom ouvir eles contando algumas histórias. Eu gosto muito.

Mas não são só os alunos que elogiam a atitude dos professores. O pedreiro João Wagner de Souza diz que as mensagens transmitidas nas caixas de som são ótimas e servem como uma distração durante o trabalho.

— É ótimo, muito bonito. É algo comunitário, interessante.

Últimas