Virtz Programa premiado que ajudou mulheres em 2020 volta neste ano

Programa premiado que ajudou mulheres em 2020 volta neste ano

Sem apoio de governo, mas contando com ajuda da sociedade, a CUFA volta a ajudar mães solteiras que moram em favelas

Projeto visa ajudar mães solteiras que moram nas favelas do país

Projeto visa ajudar mães solteiras que moram nas favelas do país

Reprodução/Facebook CUFA - Central Única das Favelas

O programa "Mães de Favela", da Central Única das Favelas (CUFA), recebeu vários prêmios e está de volta para mais uma edição neste ano, depois de ter ajudado a manter inúmeras famílias em 2020, especialmente depois da chegada do novo coronavírus ao país. Neste mês de março, o objetivo foi mobilizar a sociedade a auxiliar as mães solos de comunidades no enfrentamento dos impactos da pandemia.

“A favela sempre foi isolada socialmente. A pandemia escancarou isso. Logo, queremos voltar com a mobilização do Mães da Favela a todo vapor. Mas, para isso, a sociedade tem que vir junto com a gente, como veio anteriormente, para contemplar o máximo de mães possíveis, que não podem esperar”, explicou Preto Zezé, presidente nacional da CUFA.

O programa oferece uma bolsa de R$ 240 por mês para as mães que moram em comunidades. No ano de 2020, cerca de 1,3 milhões de famílias foram atendidas, causando impacto em mais de 5,5 milhões de pessoas, com a entrega de quase 20 toneladas de alimentos e mobilizando quase R$ 170 milhõesem mais de 5 mil favelas de todo o Brasil.

Os voluntários que trabalharam no ano passado se juntaram com a diretoria nacional da CUFA e perceberam que os trabalhos precisam ser tocados com ainda mais afinco neste ano, pois, mesmo com a vacinação, a pandemia se agravou por aqui e pode demorar para passar, afetando ainda mais as classes menos favorecidas brasileiras.

Últimas