Projeto ajuda família a manter tratamento de saúde do filho

Com o Projeto Nova Canaã, o pintor João Batista conseguiu remédios gratuitos para a anemia do filho Caíque; ação apóia famílias do sertão nordestino

O pintor João Batista e seu filho Caíque, atendido pela escola mantida pelo Projeto Nova Canaã

O pintor João Batista e seu filho Caíque, atendido pela escola mantida pelo Projeto Nova Canaã

Divulgação/ Projeto Nova Canaã

O pintor de paredes João Batista Joaquim da Silva, de 44 anos, mora numa casa simples, porém própria, no sertão nordestino. Sem carteira assinada há anos, ele conseguia fazer bicos até cerca de quatro meses atrás. Por conta da pandemia do novo coronavírus, ficou até sem esses trabalhos esporádicos e a situação financeira piorou bastante em sua casa.

Atualmente, a renda para manter os três filhos do casal vem da esposa, Luciana, que trabalha como doméstica, com registro, em casa de família. Mas Caíque, o filho mais novo, de 13 anos, tem uma anemia crônica que prejudica o seu desenvolvimento. Porém, o menino conseguiu uma vaga na escola mantida pelo Projeto Nova Canaã, que o auxilia não apenas nos estudos, mas também com alimentação e o caro tratamento médico de que necessita.

Veja como o Projeto Nova Canaã auxilia crianças e famílias carentes

"A nossa renda hoje é o que a mulher ganha, tem mês que são R$ 600, ela é doméstica. Com isso a gente paga a despesa de alimentação, água, luz e, às vezes, remédios para o Caíque", diz João. Ele está inscrito no Bolsa-Família, o que lhe rende mais R$ 120 por mês, geralmente gastos nas contas básicas para manter a casa.

Há cerca de 3 anos, a família descobriu a doença do filho mais novo. Ele precisa de tratamento constante, e cada caixa de remédio pode custar até R$ 300. Mas, com o encaminhamento realizado pelo Canaã, eles conseguiram atendimento médico e acesso gratuito aos medicamentos.

"Quando o Canaã chegou, melhorou muito. Graças a Deus, depois que Caíque entrou lá, a gente não tem mais aquela preocupação da saúde dele, porque eles têm um bom tratamento, alimentação. O padrinho dele, do projeto, manda presente, manda roupa. Em todos os eventos da Canaã ele é presenteado, isso ajuda muito a gente", afirma João.

Dificuldades na quarentena

Se antes o pintor conseguia alguns trabalhos, depois do isolamento social imposto pela covid-19, a situação piorou. "Nesse tempo todo a gente está parado, a crise não ficou muito boa aqui dentro de casa, não. Porque às vezes a gente deixa de comprar o alimento para poder pagar água e luz".

Por isso, a ajuda do projeto é mais do que bem-vinda, e João é grato à equipe, que auxilia não apenas Caíque, mas toda a família. "Se o Canaã não existisse, seria um caos na nossa vida. Eles deram a maior força pra gente no tratamento do Caíque, encaminharam para o médico, conseguimos o tratamento de graça. Além da escola, é um acompanhamento familiar", acredita João.

"Hoje, o Canaã representa tudo, para ser sincero. Porque se não fosse o projeto, na parte de Caíque, a gente estaria sofrendo mais ainda. Talvez a gente precisasse vender a casa para fazer o tratamento dele. Mas com o Canaã, tivemos essa ajuda, tudo gratuito", revela.

SOS Famílias do Sertão

Além de prestar auxílio às famílias em situação de vulnerabilidade, no início deste mês o Projeto Nova Canaã lançou a ação SOS Famílias do Sertão. A campanha pretende estender a ajuda social promovida para famílias do sertão nordestino, especialmente aquelas que estão passando por dificuldades por conta da crise causada pela covid-19.

A meta da campanha é ajudar mais de 500 famílias carentes. Clique aqui para fazer sua doação.