Virtz Projeto 'Meninas em Movimento' combate violência sexual

Projeto 'Meninas em Movimento' combate violência sexual

A parceria entre Petrobrás e ActionAid atuará em sete territórios da região ao longo de dois anos, impactando 16 mil pessoas

 O projeto foi lançado oficialmente no dia 27, por meio do Youtube da ActionAid

O projeto foi lançado oficialmente no dia 27, por meio do Youtube da ActionAid

Reprodução/Pexels

A ActionAid está lançando o projeto "Meninas em Movimento" para combater a violência sexual em territórios de Pernambuco. O intuito é defender os direitos de crianças e adolescentes e impactar mais de 16 mil pessoas no Recife e no litoral sul de Pernambuco. 

As parceiras neste projeto são organizações que já desenvolvem ações de prevenção à violência sexual em seus locais de atuação e com as quais a ActionAid trabalha há mais de dez anos.

"É duro saber que dois anos depois o projeto ficou ainda mais relevante, porque percebemos que a violência contra crianças e adolescentes tem se tornado mais aguda. O Brasil tem números severos de violência, inclusive sexual. A pobreza e a desigualdade ampliaram o problema. Por outro lado, temos uma rede de direitos consolidada no país. Infelizmente, nos últimos anos, talvez tenha havido um desabastecimento dessa rede", afirma Ana Paula Brandão, diretora da ActionAid.

O projeto foi lançado oficialmente no dia 27 de outubro, em um webinar aberto ao público, com transmissão pelo Youtube da ActionAid. A abertura foi feita por Caroline Arcari, escritora e especialista em educação sexual, que abordou estratégias de enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes.

Para promover a autonomia e incentivar a autoproteção, o foco são crianças, adolescentes e mulheres que, ao longo de 24 meses, participarão de cursos, oficinas, campanhas educativas e eventos de multiplicação de saberes.

As ações ocorrerão em sete territórios de três municípios pernambucanos: Ibura e Passarinho, no Recife; Vila Califórnia, em Ipojuca, e Engenho Massangana, Gaibu, Vila Suape e Vila Nova Claudete, no Cabo de São Agostinho.

Últimas