Virtz Projeto promove oficinas online para mulheres vítimas de violência

Projeto promove oficinas online para mulheres vítimas de violência

Neste mês de abril, o Coletivo As Trapeiras dá sequência aos encontros virtuais para oferecer rede de acolhimento

Coletivo promove encontros virtuais na pandemia para ajudar mulheres vítimas de violência

Coletivo promove encontros virtuais na pandemia para ajudar mulheres vítimas de violência

Divulgação

Com o isolamento social provocado pela pandemia, houve um crescimento nos índices de todos os tipos de violência contra a mulher, incluindo agressões físicas e psicológicas. Para dar apoio e acolhimento a esse público, diversas iniciativas têm sido oferecidas no meio virtual.

Seguindo essa linha, o Coletivo As Trapeiras dá continuidade, neste mês de abril, ao projeto “Fortalecendo Mulheres”, que oferece oficinas online para apoiar mulheres que sofreram violência doméstica.

“A virtualidade não foi um obstáculo para a criação e fortalecimento dos vínculos. Mesmo à distância, conseguimos proporcionar um espaço de acolhimento, onde reconhecemos nosso local como agentes ativas de transformação da realidade pessoal tanto nossa, como de outras mulheres”, dizem As Trapeiras.

As atividades começaram no início do mês e nas próximas segundas-feiras, 19 e 26 de abril, o Coletivo irá realizar as oficinas virtuais com mulheres do Jardim Ângela, Jardim São Luis, Capão Redondo e Campo Limpo, em parceria com a Casa Sofia - Centro de Defesa e Convivência da Mulher (CDCM). A Casa Sofia é um espaço para mulheres vítimas de violência doméstica, instalado na Zona Sul de São Paulo.

Por meio da arte, Coletivo ajuda a resgatar a autoestima das mulheres que sofreram agressões

Por meio da arte, Coletivo ajuda a resgatar a autoestima das mulheres que sofreram agressões

Divulgação

Com essas ações, o Coletivo constrói uma espécie de rede de apoio para essas mulheres, utilizando a arte para fortalecer a autoestima e trazer empoderamento àquelas que se encontram vulneráveis após enfrentarem agressões dentro de casa.

“Como artistas e pedagogas, estamos nos reinventando constantemente e, junto com as mulheres dos Serviços Especializados de Atendimento à Mulher, conseguimos continuar pensando em estratégias para quebrar o ciclo de violência em tempo de pandemia”, afirmam As Trapeiras.

Além das oficinas, as mulheres poderão participar da apresentação virtual de “Tramarias:
Libertando-se das Tramas”. Trata-se de um espetáculo de Teatro-Fórum em que cada participante será convidada a refletir sobre sua condição e se enxergar como parte da questão a ser solucionada, buscando uma transformação de sua realidade.

Mais informações podem ser encontradas no site do Coletivo As Trapeiras.

Últimas