Rappi e ONG Gerando Falcões arrecadam mais de R$ 400 mil

Valor é destinado a ajudar pessoas que vivem em comunidades carentes e precisam de auxílio durante a pandemia do novo coronavírus

Empresas e ONGs têm se unido em prol do combate ao coronavírus no Brasil

Empresas e ONGs têm se unido em prol do combate ao coronavírus no Brasil

Reprodução/ Pixabay

O aplicativo de entregas e serviços Rappi e a ONG Gerando Falcões uniram-se numa ação para arrecadar recursos para comunidades carentes de todo o país. Por meio de um botão criado dentro do app da Rappi, para doação de “cestas básicas digitais”, em 10 dias foram obtidos mais de R$ 400 mil. Esse valor representa 8 mil cestas básicas que serão distribuídas a famílias que precisam de ajuda durante a pandemia do novo coronavírus.

Até agora, mais de 2.400 pessoas doaram valores entre R$ 5 e R$ 10 mil. Essas doações foram revertidas integralmente para a ONG Gerando Falcões, que transformará o recurso no auxílio às comunidades carentes.

"Estamos extremamente contentes com o resultado da ação e queremos alcançar ainda mais doações para essas famílias. Em um momento tão crítico como o que estamos vivendo, é incrível ver a mobilização dos nossos usuários para ajudar", explica Sergio Saraiva, presidente da Rappi no Brasil.

A campanha continua ativa. Para mais informações, os interessados em ajudar podem acessar o site da ONG no endereço gerandofalcoes.com/coronanoparedao. E para realizar as doações, basta baixar o aplicativo da Rappi e clicar no botão "Doe Agora", instalado na home do app.

Juntos contra o vírus

A Rappi define-se como um “superaplicativo” oferecido para atender a uma plataforma de usuários com os mais diferentes serviços. A startup foi criada em 2015 e chegou ao Brasil em julho de 2017, estando presente hoje em mais de 60 cidades brasileiras.

Por meio do app, o usuário consegue obter produtos e serviços de diferentes categorias, como restaurantes, supermercados, farmácias, etc.

Criada em 2011, a ONG Gerando Falcões é uma organização social que atua em periferias e favelas, dentro de uma estratégia de rede. Os projetos da ONG são focados em esporte e cultura para crianças e adolescentes e qualificação profissional para jovens e adultos.

Agora, com a preocupação iminente da chegada do coronavírus às comunidades periféricas, a ONG estabeleceu estratégias, como esta com a Rappi, para auxiliar as famílias carentes e evitar que a Covid-19 se espalhe nessas comunidades.