Senai investe R$ 67 milhões em ações para combate à covid-19

Conserto e produção de respiradores, além de doações de insumos essenciais para o sistema de saúde são apenas algumas das iniciativas

Senai já investiu mais de R$ 67 mi em ações voltadas ao combate da covid-19

Senai já investiu mais de R$ 67 mi em ações voltadas ao combate da covid-19

Flickr CNI/Alex Malheiros

Desde que chegou ao Brasil, o coronavírus vem deixando marcas profundas na saúde da população e na economia do país. No entanto, apesar de duramente afetas pela crise, muitas empresas da área industrial tem se prontificado a empregar capacidades técnicas e produtivas na linha de frente do combate à covid-19. O Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) não ficou de fora e, sob a coordenação da CNI (Confederação Nacional da Indústria), já investiu R$ 67,4 milhões em ações voltadas ao combate do novo coronavírus. 

Leia mais: Mulher mais velha da Espanha vence batalha contra o coronavírus

Do conserto de centenas de respiradores mecânicos à produção e doação de insumos essenciais ao sistema de saúde e seus profissionais, o Senai, assim como outras instituições, tem buscado fazer a diferença, diminuindo os impactos da pandemia sobre a saúde pública, assim contribuindo para que o Brasil tenha condições, o quanto antes, de voltar a normalidade. 

Veja também: Austrália começa a testar vacina da Tuberculose contra covid

“O SENAI possui hoje a maior rede de apoio à inovação e ao aumento de produtividade na indústria, que está sendo colocada à disposição de toda sociedade brasileira neste momento em que o Brasil e o mundo enfrentam um grave problema”, explica Robson Braga de Andrade, presidente da CNI. “Cumprindo com a missão que possui desde 1942, o SENAI reafirma seu compromisso  de ajudar o país em seus momentos mais decisivos”, completa.

Veja as ações do Senai no combate ao novo coronavírus

Incentivo à inovação como forma de enfrentar a covid-19

A iniciativa de maior valor é o aporte, via Edital de Inovação para a Indústria, de R$ 15 milhões em cerca de 25 projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação para se colocar no mercado, a curto prazo, produtos e soluções — como testes mais rápidos de detecção da doença — para prevenção e diagnóstico da covid-19. 

Em parceria com a ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial) e a Embrapii (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial), 34 projetos já foram selecionados.

Conserto de respiradores

Com o apoio do Ministério da Saúde, Ministério da Economia, ABDI e ABEClin, e parceria com 20 empresas e institutos de pesquisa, o Senai coordena a iniciativa de manutenção de respiradores mecânicos. A rede já recebeu 2.647 equipamentos, que estão sendo consertados sem custo para hospitais. Até segunda-feira (11), 666 já haviam sido entregues. 

O objetivo é consertar, ao todo, 3.600 respiradores que estão fora de funcionamento no Brasil, com custo estimado de R$ 5 mil para cada equipamento. Assim, o sistema de saúde economiza cerca de R$ 18 milhões.

Produção de respiradores

Além do reparo, o Senai também apoia a produção em escala nacional dos aparelhos, com pelo menos 5 mil novos equipamentos fabricados no Brasil com destino ao sistema de saúde. 

Com a ação, a estimativa é que sejam economizados até R$ 125 milhões. Isso porque a produção dos respiradores, de custo unitário médio de R$ 50 mil, substituirá a importação de 5 mil respiradores a um custo unitário médio de US$ 15 mil.

Investimento para ampliação do número de testes rápido

A ampla testagem da população é fundamental para a rápida detecção da covid-19 e o controle mais efetivo da disseminação do coronavírus no país. Como forma de contribuir para o aumento do número de diagnósticos realizados, o Senai está apoiando iniciativas que levem ao crescimento da oferta de testes rápidos a custos menores. 

Além disso, a instituição tem hoje a capacidade de processar em seus laboratórios mais de 1,2 mil testes padrão ouro da OMS (Organização Mundial da Saúde) por dia, sendo mil no Instituto Senai de Inovação de Química Verde, no Rio de Janeiro, e 200 no Instituto Senai de Inovação em Saúde, em Salvador. 

Produção de EPIs 

O Senai atua também no apoio às empresas para que ampliem a produção de EPIs (equipamentos de proteção individual), tanto hospitalares quanto de uso comum. Além de fabricar os materiais em suas instalações, o Senai oferece consultoria e suporte a empresas na especificação e fabricação dos produtos, pelo fornecimento de fichas técnicas e treinamentos gratuitos, além do desenvolvimento de novas tecnologias. 

Outra linha de atuação é a oferta de material antisséptico para ampliação da produção nacional e substituição de insumos importados. Tudo isso ao custo de R$ 28 milhões. 

Apoio a formação e qualificação profissional

O período de quarentena e isolamento social pode ser oportunidade para aprimorar o conhecimento e adquirir novas competências. Com o objetivo de apoiar a requalificação do trabalhador da indústria, o Senai oferece acesso gratuito a cursos em temas como Indústria 4.0 e digitalização de processos produtivos, entre outros. Ao todo, o investimento é de R$ 13,6 milhões.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Ana Vinhas