Trinta notícias que nos permitem manter a esperança em 2020

Ano que acabou deixou dados positivos importantes para a economia brasileira e mostrou avanços em indicadores sociais no país e no mundo

Há motivos para acreditar um pouco mais em 2020

Há motivos para acreditar um pouco mais em 2020

Segredos do Mundo

O ano de 2019 foi de muitos desafios políticos e econômicos no Brasil e no mundo, com radicalizações em alta e crises que dificultam a vida da população em quase todo o planeta. Mas também foi de boas notícias, com avanços importantes no nosso país e anúncios na medicina e na preservação ambiental.

Veja a relação dos 30 motivos para termos esperança neste ano que está começando:

1 - Inflação sob controle

Ainda que tenha ficado acima dos índices de 2017 e 2018, com 2,95% e 3,75%, respectivamente, a inflação acumulada de 2019, que tem fechamento previsto em 4,04%, de acordo com o boletim Focus, do Banco Central, segue sob controle e abaixo do centro da meta estabelecida pelo governo, de 4,25%

2 - PIB, pronto para decolar 

Após três anos seguidos com PIB (Produto Interno Bruto) positivo – 2019 deve fechar em 1,17%  , a previsão dos economistas é a de que, enfim, o índice que calcula tudo que é produzido no Brasil tenha resultado ainda mais dilatado em 2020, de 2,3%. 

3 - Bolsa disparou

Com a expectativa de que a economia brasileira passará a ter resultados mais sólidos, a Bolsa engrenou alta pelo quarto ano consecutivo e registrou, em 2019, a maior valorização desde 2016. As ações das empresas que integram o Ibovespa avançaram 31,58% no ano, sem descontar a inflação, e estimativas do mercado apontam que elas devem voltar a subir em 2020, entre 12% e 21%.

4 - Homicídios em queda

De acordo com o ministro da Justiça, Sergio Moro, até setembro de 2019 os homicídios do país caíram 22% em comparação com 2018.

O número já é alto, mas o ministro não parecia contente com o resultado.  Segundo Moro, a aprovação do pacote anticrime deve reduzir ainda mais os índices de crimes violentos.

5 - Os brasileiros estão voando mais

Segundo dados da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), o número de passageiros de avião cresceu 1,2% em 2019, com uma tendência de recuperação do setor no próximo ano. Foram 108,3 milhões entre janeiro e novembro, frente a 107 milhões em 2018 no mesmo período.

6 - Morre menos criança no Brasil 

A Unicef divulgou em novembro de 2019 que houve uma "redução histórica" no total de mortes de crianças menores de um ano de idade no Brasil. Os números são de 1990 a 2017, mas continuam sendo uma excelente notícia. No período, a taxa caiu de 47,1 para 13,4 a cada 1 mil nascidos vivos. Segundo o órgão, de 1996 a 2017, 827 mil vidas de brasileirinhos foram salvas.

7 - Um mundo melhor para as crianças

De acordo com uma pesquisa feita pela organização Save The Children, as crianças que nascem atualmente têm mais chances de crescerem saudáveis e protegidas do que em qualquer momento da história da humanidade. Além disso, o estudo constatou que existem 115 milhões de crianças a menos fora da escola e 94 milhões a menos de trabalhadores infantis agora em comparação com o começo do século

8 - Mais negros nas universidades públicas

Pessoas pretas ou pardas passaram a ser maioria entre os estudantes de ensino superior público no Brasil. Segundo dados do IBGE de 2018 divulgados neste ano, esta parcela da população representa 55,8% da população, mas pela primeira vez representa mais da metade dessas matrículas (50,5%).

A proporção de jovens de 18 a 24 anos pretos ou pardos no ensino superior passou de 50,5% em 2016 para 55,6% em 2018, mas ainda é menor que a registrada entre os brancos (78,8%).

9 - O brasileiro está mais educado

Segundo o IBGE, o Brasil passou a ter 121 mil analfabetos a menos de 2017 para 2018 (último dado divulgado). Ainda são 11,3 milhões de brasileiros nessa condição, mas há um claro avanço. No início do século passado, 65,3% dos brasileiros não sabiam ler e escrever; em 2000, eram 13,6%.

10 - Os livros estão mais acessíveis

O número de livros vendidos saltou de 318,6 milhões em 2006 para 352 milhões em 2018, e o preço médio dos livros caiu 34%, segundo pesquisa da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas).

11 - O brasileiro nunca leu tanto.

Até por causa do item acima, o brasileiro está lendo mais. A quantidade de adeptos da leitura subiu de 50% para 56% entre 2011 e 2015, e a média de livros lidos por ano saltou de 4 para 4,96. Os dados são do levantamento Retratos da Leitura no Brasil, e devem ser atualizados em 2020.

12 - Brasil menos preconceituoso

Dados divulgados pelo IBGE mostram que os casamentos registrados entre cônjuges do mesmo sexo cresceram de 5.887 de 2017 para 9.520 em 2018, o que corresponde a um incremento de 61,7%.

13 - Carros na tomada

Aposta contra a poluição das grandes cidades, os carros movidos a eletricidade estão cada vez mais próximos de se adequarem ao bolso da população mundial. Em comparação com os modelos de 2010, as baterias elétricas já custam sete vezes menos. O preço por kWh passou de 1.100 dólares para 156 dólares nesse período. Para 2023 estima-se que podem baixar de 100 dólares/kWh.

14 - Canudos plásticos em extinção

Começou por São Paulo e a ideia pode ganhar o Brasil. Com o objetivo de reduzir a utilização do plástico, a Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) aprovou lei que proíbe a distribuição de canudos feitos a partir desse material nos estabelecimentos comerciais. Regra similar já foi aprovada em comissões do Senado Federal.

15 - As próximas são as sacolinhas

As sacolinhas plásticas são vilãs da preservação da natureza e qualquer medida que diminua esse impacto é bem-vinda. Uma rede de supermercados de São Paulo começou a usar folha de bananeira para embalar verduras. O comprador escolhe o produto, enrola na folha e amarra com sisal. Rápido, prático e limpo!

16 - Terror dá uma trégua

Os mortos em ataques terroristas caíram 33% em 2018, chegando ao número mais baixo desde 2011. 

17 - Tratamento para diabete 

Cientistas nos Estados Unidos conseguiram transformar células-tronco em células produtoras de insulina.

O avanço científico amplia a esperança pela cura da diabete tipo 1.

18 - Ataques contra o Alzheimer

Não há uma, mas três razões para ser otimista em relação ao mal de Alzheimer.

De um lado, cientistas estão novamente esperançosos de conseguir retardar a doença usando a droga aducanumab, numa segunda tentativa após testes iniciais terem indicado resultados aquém do esperado.

De outro, pesquisadores da Universidade Berkeley também identificaram que drogas que aliviam inflamação do cérebro podem retardar ou mesmo reverter o declínio cognitivo associado ao Alzheimer.

Além disso, cientistas na Alemanha anunciaram que já detêm os meios de identificar sinais de Alzheimer muito antes dos sinais clínicos.

19 - Prevenção contra a Aids

Tratamento pode prevenir a transmissão sexual do vírus HIV, segundo um estudo na conceituada publicação científica The Lancet.

Pesquisadores não registaram, ao longo de oito anos, nenhum caso de transmissão entre quase mil casais de homens homossexuais que fizeram sexo sem camisinha — um dos parceiros era soropositivo e era tratado com antirretrovirais.

20 - Sangue para todos

Cientistas da Universidade da Columbia Britânica, no Canadá, conseguiram converter sangue do tipo A em O, o tipo universal, que pode ser doado a qualquer pessoa, usando uma enzima do intestino humano. Cerca de 30% da população mundial tem o tipo A e transformá-lo em compatível às pessoas que precisam de doação pode ajudar hemocentros que sofrem com a falta de bolsas de sangue

21 - Malária ameaçada

Depois de 30 anos de pesquisa, a Organização Mundial da Saúde anunciou a distribuição da primeira vacina contra a malária no mundo. Os países africanos de Gana, Malaui e Quênia tiveram as primeiras crianças imunizadas em 2019. De acordo com a OMS, 435 mil pessoas morrem por ano por causa da doença, sendo a maioria menores de cinco anos.

22 - Moda sustentável

Mais de 50 executivos do mundo da moda assinaram no mês de outubro, em Paris, o Pacto Fashion. No documento, as empresas se comprometeram a reduzir a emissão de carbono a zero até 2050 e usar apenas energia renovável para a produção de tecidos e roupas. As gigantes Nike e Adidas estão entre as signatárias do acordo.

23 - As baleias se salvaram

Outra boa notícia que veio do Atlântico Sul: as baleias jubartes, que antes corriam risco de extinção, conseguiram reverter o quadro. Em 2019, a população da espécie subiu de 450 para 25 mil e já não é mais considerada ameaçada.

24 - Retorno da extinção

Uma tartaruga gigante, que se acreditava estar extinta há um século, foi vista na ilhas Galápagos, no oceano Pacífico, a quase 1.000 km da costa do Equador.

A última espécime vista de Chelonoidis phantasticus havia sido avistada em 1906. Até este ano, quando uma fêmea adulta da espécie apareceu em um dos pontos mais remotos da ilha de Fernandina.

Estima-se que ela tenha ao menos 100 anos, e pode não ser a única sobrevivente da espécie: conservacionistas afirmam ter descoberto sinais de pegadas e fezes que podem indicar a existência de outras tartarugas dessa espécie.

25 - A Terra está mais verde

Segundo a Nasa, a Terra está 5% mais verde do que era 20 anos atrás. Graças principalmente à agricultura intensiva ao redor do mundo e a amplos programas de plantação de árvores na Índia, na China e em países da África.

A agência espacial americana afirmou que a cobertura vegetal do planeta aumentou 2 milhões de milhas quadradas, área equivalente à da Floresta Amazônica.

26 - Voar é cada vez mais seguro

Relaxe, as chances de você estar em um acidente aéreo sempre foram pequenas e estão cada vez menores. Segundo dados da Organização Mundial do Turismo (UNWTO), nos anos 70 morriam 5 pessoas a cada um milhão de voos no mundo. Em 2017, esse número de vítimas caiu para 1 (para deixar claro: 1 pessoa, não 1 voo inteiro).

27 - Mundo mais democrático

Entre 2008 e 2018, a quantidade de países que aderiram à democracia aumentou de 90 a 97, incluindo quatro países que eram democracias pela primeira vez: Burkina Faso, Myanmar, Armênia e Malásia.

Segundo estudo do Instituto Internacional pela Democracia e Assistência Eleitoral (Idea), mais de quatro bilhões de pessoas no mundo vivem sob alguma forma de democracia.

28 - Próteses melhoram vida de amputados

As universidades americanas de Carnegie Mellon e de Minnesota desenvolveram um braço robótico controlado pela mente humana. Ainda nessa área, cientistas da Universidade de Utah, também nos Estados Unidos, conseguiram desenvolver um braço que imita a maneira como a mão humana sente objetos por meio de sinais enviados ao cérebro. A descoberta ajuda uma pessoa amputada a sentir o toque de algo macio ou duro, entender com precisão como pegar algum objeto e fazer tarefas delicadas, impossíveis com uma prótese padrão.

29 - Oceanos mais protegidos

Estudos ambientais mostraram que 8% dos oceanos do mundo são áreas marinhas totalmente protegidas. Os números são baixos, já que só 27 dos 361 milhões de m² de mares da Terra estão seguros. Mas, em 2000, essa área era dez vezes menor do que atualmente.

30 - Menos suícidios = mais esperança

Há menos suicídios no mundo. Estudo com dados de 2016 do Global Burden Disease, que investiga as causas de morte em cada país, afirma que o número relativo de suicídios caiu 33% desde 1990.