Veja como ajudar os povos indígenas no combate ao coronavírus

Com a expansão do contágio em diversas regiões do país, comunidades de populações tradicionais pelo Brasil pedem ajuda

Saiba como ajudar comunidades indígenas por todo o Brasil

Saiba como ajudar comunidades indígenas por todo o Brasil

Ricardo Moraes/Reuters

Com o avanço no número de casos do novo coronavírus, a população indígena, historicamente atingida por epidemias, tem enfrentado um grande desafio diante da covid-19.

Foram, até o momento, quatro indígenas mortos e 42 infectados. Com a iminente expansão do contágio, comunidades de populações tradicionais pelo Brasil pedem ajuda com alimentos e equipamentos de higiene e saúde.

As doações podem ser feitas online ou por transferências bancárias. Confira as campanhas:

Articulação dos Povos Indígenas do Brasil

A Apib (Articulação dos Povos Indígenas do Brasil) está arrecadando valores para colaborar com a população indígena com alimentos, medicamentos e kits de higiene pessoal. Até agora, mais de R$ 170 mil foram arrecadados. A meta é chegar em R$ 200 mil. Ajude aqui.

Povos Indígenas do Sudeste na luta contra o coronavírus

Comunidades de diversas etnias, nos quatro estados da região Sudeste, estão arrecadando fundos no combate à covid-19.

Saiba como ajudar aqui

Território Indígena do Xingu contra a covid-19

O TI (território indígena) do Xingu, no Mato Grosso, também está arrecadando fundos para adquirir materiais básicos de higiene, ferramentas e produtos alimentícios. Confira como ajudar aqui.

Conselho Indígena de Roraima

Num dos estados com mais áreas de demarcação de terras indígenas, os povos nativos em Roraima pedem ajuda. O CIR (Conselho Indígena de Roraima) iniciou uma campanha de arrecadação para o combate ao avanço da covid-19. Saiba mais informações aqui.

Articulação dos Povos e Organizações Indígenas do Nordeste, Minas Gerais e Espírito Santo

A Apoinme (Articulação dos Povos e Organizações Indígenas do Nordeste, Minas Gerais e Espírito Santo) também está arrecadando fundos para suas comunidades indígenas. A meta é chegar ao valor de R$ 40 mil. Até o momento, pouco mais de R$ 2 mil foram arrecadados. Ajude aqui.

Guaranis, em São Paulo

Os indígenas da etnia guarani, que vivem em São Paulo, arrecadam fundos para produtos de necessidade, durante o período da pandemia. Ajude por meio de transferência bancária:

Banco Nubank - Ag. 0001 - C/C: 330840-5 - Sophia Lopes Peres (CPF: 438.462.128-06)

Frente Indígena de Combate e Prevenção ao COVID-19 - Região Sul

A Frente Indígena de Combate e Prevenção ao COVID-19, um coletivo de lideranças indígenas e indigenistas da região Sul do país, preocupados com a situação de vulnerabilidade social e segurança alimentar de povos de diversas etnias, está arrecadando fundos. Veja aqui como ajudar.

Comunidades Maxakali (Minas Gerais)

Comunidades Maxacali, por diversas localidades de Minas Gerais, pedem doações de cestas básicas ou valores em dinheiro.

Para doar aos Maxacali da Aldeia Verde/Ladainha (MG), veja mais informações aqui ou transfira pela conta bancária: Banco do Brasil - Ag: 2232-2 - C/C: 9277-0 - Isael Maxacali

Para os Maxacali de Água Boa, as doações podem ser feitas por conta bancária: Banco do Brasil - Ag. 0889-3 - C/C: 23282-3 - Lúcio Maxacali 

Para doar aos Maxacali da Terra Indígena do Padrinho, também por conta bancária: Banco do Brasil - Ag. 0889-3 - C/C: 24591-7 - Ismail Maxacali

Aldeia Kakané Porã recebe doações

A aldeia Kakané Porã, em Curitiba (PR), também está recebendo fundos para a luta contra o vírus. Foram, até o momento, mais de R$ 4,5 mil arrecadados. Para ajudar, clique aqui.

Quilombo dos Caetanos, no Ceará

No Ceará, 85 famílias vivem no Quilombo dos Caetanos e pedem auxílios. O dinheiro recebido servirá para alimentos, produtos de higiene e produção de máscaras. Doe aqui.

Comunidades quilombolas do Pará

Em isolamento e sem condições de vender seus produtos para sobreviver, comunidades quilombolas de quatro cidades no Pará precisam de ajuda. São elas: África (130 famílias, em Abaetetuba), Burajuba (300 famílias, em Barcarena), Moju-miri (70 famílias, em Moju), Piratuba (350 famílias, em Abaetetuba) e Pau-furado (70 famílias, em Salvaterra)

Veja como apoiar aqui.

Quilombo Santa Rosa dos Pretos (MA)

O Quilombo Santa Rosa dos Pretos, no Maranhão, pretende arrecadar fundos para cestas básicas que serão entregues a suas 120 família. A campanha, que tem como meta R$ 13,5 mil em arrecadações, já passou dos R$ 8 mil. Veja aqui como doar.

Salve Krahô

Cerca de três mil pessoas da etnia Krahô vivem em 40 aldeias no nordeste do Tocantins. Para ajudar no combate ao coronavírus, as comunidades lançaram a campanha "Salve Krahô". Veja mais informações aqui ou faça uma transferência bancária:

Bradesco - Ag: 1725-6 - C/C: 0086375-0 - CNPJ: 16.849.941/0001-34

Alimentação e saúde do povo Xetá

O povo indígena Xetá, que após a perda de um território vive hoje na Terra Indígena São Jerônimo, também pede ajuda. Saiba como doar aqui.

Rede Indígena Porto Alegre

A Rede Indígena Porto Alegre (RS), coletivo composto por mulheres das etnias Guarani Mbya e Kaingang, planeja arrecadar R$ 10 mil. Até o momento, a campanha já recebeu mais de R$ 4 mil em doações. Ajude aqui.